Notícias

sexta-feira, 19 de maio de 2017 - 21h33

"Faria tudo de novo", diz Baptista sobre desabafo

Técnico afirmou não ter se arrependido pela declaração contra jornalista, após vitória sobre o Peñarol

Da Redação, com Rádio Bandeirantes | esportes@band.com.br

Demitido do Palmeiras no último dia 4, Eduardo Baptista não se arrepende do desabafo contra um jornalista após a vitória sobre o Peñarol por 3 a 2, no dia 26 de abril. Na ocasião, o treinador demonstrou revolta após insinuação de que é 'maleável' e negou ter escalado Roger Guedes por pedido da diretoria.

Nesta sexta-feira, o ex-comandante alviverde participou do Esporte em Debate, da Rádio Bandeirantes, com o apresentador Elia Júnior, e declarou que faria tudo exatamente igual.

"Fui muito criticado por ser muito bonzinho. às vezes eu era criticado porque era muito educado. Então, estou no mundo errado. Naquele momento eu faria tudo de novo. Sou educado, sempre fui. Pode perguntar para todos os jornalistas que cobrem o Palmeiras. Mas a partir do momento em que ofende a moral... Eu faria tudo de novo. Eu estava consciente porque finalizo respondendo a pergunta. Não pode ofender o caráter de um homem trabalhador, que não caiu de paraquedas", disse.

"Se me chamar de desonesto, eu posso me defender. Não tenho rabo preso com ninguém. Se tivesse, agiria de outro jeito, porque poderiam me acusar. Mas a única acusação que recebi depois daquilo foi que não entendo de lei. Graças a Deus. Não entendo mesmo. Eu entendo de caráter", complementou.

O treinador ainda ressaltou que ficou surpreso com a sua demissão do Palmeiras. "Recebi a demissão até com certa surpresa. Depois do jogo (derrota para o Jorge Wilstermann), já estava pensando na estreia do Brasileirão", afirmou.

Por fim, Eduardo Baptista confirmou que foi procurado pelo Vitória para comandar a equipe no Campeonato Brasileiro. No entanto, não aceitou porque precisava de um período de descanso.

"Teve uma sondagem, o Petkovic que me ligou, mas foi dois dias depois que saí do Palmeiras, eu estava muito mal. Não tinha entendido muito bem o que tinha acontecido. Não seria justo aceitar o trabalho sem estar com cabeça focada. Precisei desses dez dias para ajustar minha família. Não tinha condições", concluiu.

FOTOS
Bandeira trabalha em jogo sem sutiã e com camisa molhada:

* conheça as regras para comentários aqui