Eduardo Gambier

Estudante de Jornalismo apaixonado por artes marciais, começou a cobrir esportes de combate aos 16 anos de idade, tendo entrevistado grandes lendas do esporte, como José Aldo, Maurício Shogun, Demian Maia e Rafael Cordeiro. Já atuou como comentarista em eventos do MMA Internacional, como o ONE FC e PFL. Nesta coluna fará análises de forma imparcial sobre os maiores eventos e lutadores do mundo da luta.

Nocaute

Khamzat Chimaev: A ascensão do Lobo

Por Eduardo Gambier 08/12/2020 • 12:58
Chimaev é a nova joia bruta de Dana White
Chimaev é a nova joia bruta de Dana White
Reprodução/Instagram Khamzat Chimaev

No atual cenário do MMA, o esporte necessita de uma grande estrela para sustentar as vendas de pacote PPV. Em 2009 tivemos o poderoso Brock Lesnar, que vinha da WWE e mostrou logo de início um grande poder de venda, mesmo com uma certa irregularidade dentro do octógono. Posteriormente chegou a vez de Ronda Rousey. A norte-americana dominou a primeira categoria feminina no Ultimate e se tornou uma verdadeira pop-star, chegando a participar de filmes como Os Mercenários e Velozes e Furiosos. Até a derrota para Holly Holm, a ex-judoca tinha despachado 11 de 12 atletas no primeiro round e sempre com seu carro chefe, o arm lock.

Em 2015 foi Conor McGregor quem dominou a maior franquia de arte marcial mista. O Notório é o recordista em vendas de PPV, chegando muito próximo aos números de Floyd Mayweather. O irlandês conseguiu harmonizar um estilo único de luta, com o poder exuberante do marketing. Desta vez, a grande aposta de Dana White é Khamzat Chimaev. O checheno chamou a atenção de todos com grandes performances no Brave FC, que é simplesmente o maior evento de MMA localizado nos Emirados Árabes. No UFC precisou de apenas quatro meses de trabalho para conseguir uma chance contra um top 5. No primeiro compromisso destronou John Phillips, sofrendo apenas um golpe significativo em todo o combate. Na sequência, nocauteou Rhyn McKee logo no round inicial e sua performance mais brilhante foi diante de Gerald Meerschaert. O Lobo, como é chamado, precisou de um simples direto, uniforme, poderoso e simplesmente plástico para liquidar a fatura em apenas 17 segundos.  

Chimaev já ultrapassou a marca de um milhão de seguidores no Instagram em menos de um ano. Comparado com todos os outros campeões, o checheno radicado na Suécia, só não é mais acompanhado que Valentina, Kamaru Usman, Israel Adesanya e Stipe Miocic. Chimaev possui estilo único de luta, mescla o poder de nocaute com as entradas de queda. Neste mês, voltaria ao octógono para enfrentar o top 3 da categoria Leon Edwards, um salto gigantesco na carreira, não lembro de qualquer atleta figurar no evento principal do UFC tão cedo. Porém, Edwards foi diagnosticado com covid-19 e a luta deve ser cancelada e remarcada.  

No médio prazo, acredito que Chimaev pode pintar na parte de cima da categoria dos meio-médios, que atualmente é umas das divisões mais recheadas de talento no UFC. Dana White não deve se precipitar com a joia bruta que está em suas mãos, precisa planejar um caminho para o atleta, focar no desenvolvimento e marketing do lutador de apenas 26 anos de idade. Cravo com convicção, caso não acelerem o processo do Lobo, ele será campeão no longo prazo. Vejo Usman acima neste momento, mas é algo que pode ser igualado com calma. Chimaev é realidade e pode ser o grande sucessor de Khabib Nurmagomedov.  

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Bandsports.

  • eduardo-gambier
  • khamzat chimaev
  • luta
  • app
  • ufc
  • mma