Eduardo Tironi

Jornalista há 28 anos, a maioria deles dedicados ao esporte, cobriu as Copas do Mundo de 1998 (França), pelo Notícias Populares, e 2006 (Alemanha) pelo Diário Lance!, onde foi editor-executivo. Sete anos como comentarista e editor-executivo na ESPN Brasil, tendo participado da cobertura da Copa do Brasil (2014) e da Olimpíada do Rio-2016 pelo canal.

Papo com Tironi

Balanço de um ano que não acabou

Por Eduardo Tironi 01/01/2021 • 09:13
Temporada 2020 do futebol atravessou o Réveillon e só termina em fevereiro
Temporada 2020 do futebol atravessou o Réveillon e só termina em fevereiro
Pixabay/Pexels

Quando termina o ano e começa o seguinte é praxe fazermos um balanço do que foi bom, do que foi ruim. Mas como fazer isso em 2020, o ano que de positivo trouxe muito poucas coisas e, especificamente no esporte, ainda não acabou?

Foi um ano olímpico sem Jogos Olímpicos (adiados para julho deste ano, se nada de mais errado acontecer). Em vez de recordes nas pistas e piscinas, passamos o ano contando macabras marcas de mortes e casos de covid-19 no Brasil e no mundo.

No futebol, a temporada atravessou o Réveillon e só termina em fevereiro.

Ainda assim, com algum esforço, é possível olhar com um certo distanciamento e avaliar o ano futebolístico que passou.

O domínio absoluto do Flamengo não se concretizou. O time agora de Rogério Ceni ainda tem boas chances de conquistar o título brasileiro, mas será um ano pior do que o mágico 2019.

Grandes ficaram menores. Casos de Botafogo, Vasco e Cruzeiro. Os dois primeiros vivem um dramático fim de temporada com poucas perspectivas de fugirem da Série B na próxima temporada. Pior do que isso, a perspectiva a curto prazo não é a de retomada. Com problemas estruturais e financeiros, os clubes estão caminhando para a inviabilidade. O Vasco, com torcida maior, ainda vê alguma luz no fim do túnel. O Botafogo está à espera de um milagre do tamanho de sua tradição.

Em São Paulo, o ano termina com o Palmeiras vivo em três frentes (Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil), mas o patinho feio São Paulo não é mais tão feio assim. Mesmo que fique mais um ano na fila, revelou uma geração de jogadores interessantes, mudou o comando do clube e Fernando Diniz termina 2020 maior do que começou.

Já o Corinthians tem um enorme desafio a vencer para retomar o protagonismo. E o Santos? Melhor não fazer previsões para o Peixe, clube que sempre tira forças de algum lugar para se manter forte.

Pessoalmente, não posso reclamar de 2020. Foi um ano de muitos e bons trabalhos. Um deles, este espaço no site do BandSports. Só tenho a agradecer.

Que 2020 seja muito melhor para todos. Feliz Ano Novo!

  • eduardo-tironi
  • réveillon
  • flamengo
  • são paulo
  • palmeiras
  • app