Eduardo Tironi

Jornalista há 28 anos, a maioria deles dedicados ao esporte, cobriu as Copas do Mundo de 1998 (França), pelo Notícias Populares, e 2006 (Alemanha) pelo Diário Lance!, onde foi editor-executivo. Sete anos como comentarista e editor-executivo na ESPN Brasil, tendo participado da cobertura da Copa do Brasil (2014) e da Olimpíada do Rio-2016 pelo canal.

Papo com Tironi

Em 2022 é vencer, do jeito que for

Por Eduardo Tironi 13/05/2022 • 11:11
Vítor Pereira levou o Corinthians à liderança do Brasileirão
Vítor Pereira levou o Corinthians à liderança do Brasileirão
Twitter/Corinthians/Rodrigo Coca

Rogério Ceni surpreendeu na entrevista coletiva desta quinta-feira após a vitória contra o Juventude em Barueri e a classificação do São Paulo na Copa do Brasil: "O time não faz um jogo inteiro bom há algum tempo e isso preocupa".

Normalmente uma vitória e uma classificação são valorizadas e o desempenho do time deixado de lado por treinadores. Mas Rogério foi sincero e exigente ao admitir que falta bom jogo para o seu time.

O problema é que a temporada talvez inviabilize o bom futebol. Sem tempo para treinamentos e descanso, e com jogos encavalados, 2022 parece que será mais uma competição sobre quem consegue manejar melhor o elenco do que de quem faz mais gols do que o adversário em uma partida.

Na vitória contra o Juventude, Rogério fez substituições já pensando no jogo de domingo contra o Cuiabá pelo Brasileiro. E assim vem sendo em praticamente todos os lugares.

O time do momento é o Corinthians. Vítor Pereira observou e percebeu que o calendário é uma corrida de resistência e já deu o recado em entrevistas querendo dizer que o negócio é não tomar gols e vencer. O resto é detalhe. É o que o Timão vem fazendo. Sorte é que a Fiel já está há tempos acostumada ao pragmatismo a ponto até de priorizar isso. Chegando a vitórias e talvez a taças, está ótimo.

A mesma sorte não tem Paulo Sousa. Seu time está massacrado pela temporada, o que resulta em um número absurdo de contusões. Além disso, a torcida do Flamengo quer jogo bonito e ofensivo, não só os três pontos de forma protocolar.

2022 será um teste para os fortes. Por enquanto, Vítor Pereira parece ter entendido isso.

  • eduardo-tironi
  • vítor pereira
  • rogério ceni
  • paulo sousa
  • futebol
  • app