Eduardo Tironi

Jornalista há 28 anos, a maioria deles dedicados ao esporte, cobriu as Copas do Mundo de 1998 (França), pelo Notícias Populares, e 2006 (Alemanha) pelo Diário Lance!, onde foi editor-executivo. Sete anos como comentarista e editor-executivo na ESPN Brasil, tendo participado da cobertura da Copa do Brasil (2014) e da Olimpíada do Rio-2016 pelo canal.

Papo com Tironi

Neymar parece saturado

Por Eduardo Tironi 11/10/2021 • 08:11
Camisa 10 revelou que a Copa do Catar pode ser a última da carreira
Camisa 10 revelou que a Copa do Catar pode ser a última da carreira
Lucas Figueiredo/CBF

Em uma surpreendente entrevista, considerado o padrão de suas declarações, Neymar admitiu que a Copa do Mundo do Catar pode ser a última de sua carreira.

"Acho que é minha última Copa do Mundo (2022). Eu encaro como a minha última porque não sei se terei mais condições, de cabeça, de aguentar mais futebol. Então vou fazer de tudo para chegar muito bem, fazer de tudo para ganhar com meu país. Para realizar o meu sonho desde pequeno e espero poder conseguir".

As declarações do jogador acenderam um alerta: Neymar parece triste. Curioso que a figura pública que fez da sua carreira quase um diário exposto nas redes sociais agora parece deprimido e a torcida não sabe o motivo.

Fato é que neste momento parece inevitável relacionar seu desânimo com seu desempenho em campo. Nesta temporada, ele fez dois gols nos primeiros dez jogos da temporada. É a pior marca de toda a sua carreira, iniciada profissionalmente em 2009.

No aborrecido jogo da Seleção contra a Colômbia neste domingo pelas Eliminatórias, Neymar foi mal para um jogador do seu nível. Errou quase tudo o que tentou e pareceu quase entregue em campo.

Ninguém sabe o que se passa na vida de Neymar e nem se ele está de fato deprimido. O que se tem é a impressão que ele tem passado, somada a uma entrevista que deu a entender uma certa saturação.

A Copa do Mundo do Catar, que pode de fato ser a última dele, pode terminar de duas formas: pode ser a tal last dance heroica ou poderá ser apenas o apagar das luzes de uma carreira que no último ano foi diminuindo sua intensidade muito rapidamente.

  • eduardo-tironi
  • futebol
  • neymar
  • seleção brasileira
  • catar 2022
  • app