Eduardo Tironi

Jornalista há 28 anos, a maioria deles dedicados ao esporte, cobriu as Copas do Mundo de 1998 (França), pelo Notícias Populares, e 2006 (Alemanha) pelo Diário Lance!, onde foi editor-executivo. Sete anos como comentarista e editor-executivo na ESPN Brasil, tendo participado da cobertura da Copa do Brasil (2014) e da Olimpíada do Rio-2016 pelo canal.

Papo com Tironi

O São Paulo precisa querer a torcida no estádio

Por Eduardo Tironi 08/10/2021 • 07:47
Pouco mais de 5 mil torcedores foram ao Morumbi no jogo que marcou a volta do público
Pouco mais de 5 mil torcedores foram ao Morumbi no jogo que marcou a volta do público
Paulo Pinto/saopaulofc.net

São Paulo e Santos empataram em 1 a 1 no Morumbi, resultado que foi ruim para os dois times. O Tricolor apenas anestesia a crise que se instalava no clube e que ameaça o cargo de Hernan Crespo. O Peixe segue perigosamente muito perto da zona de rebaixamento e com um desempenho ainda muito ruim.

Porém, em algum aspecto o jogo desta quinta-feira foi positivo para o São Paulo. Quem foi ao estádio pôde ver a reconexão dos jogadores com o treinador, algo que parecia perdido no empate contra a Chapecoense. E viu a volta da torcida, em que pese as imensas dificuldades que o torcedor teve de enfrentar para ter acesso ao estádio.

O processo de fiscalização sanitária imposto pelo clube é coisa da era pré-digital, além dos mais caros valores de ingressos entre os três clubes grandes do Estado.

O torcedor que conseguiu pagar em média R$ 100 reais (são poucos nesta crise que vive o país), teve de ir a um posto de check in para ter uma pulseira para ser colocada no pulso e poder entrar no Morumbi. Para ter a pulseira tinha de ter em mãos cópias do documento de vacinação e o voucher comprovando a compra do ingresso pela internet. Em um mundo em que podemos pedir comida, fazer transações bancárias, conversar com pessoas em qualquer canto do planeta e até trabalhar dentro de casa, ter de ir pessoalmente a um local para apresentar documentos físicos é quase surreal.

Mas foi isso o que o são-paulino teve de encarar. Não à toa, apenas pouco mais de 5 mil heróis estiveram no Morumbi para acompanhar o jogo. Quem foi viu, ao menos, um time mais lutador do que de costume e que poderia ter vencido a partida.

Hernan Crespo e Calleri parecem ter percebido o esforço feito pelos torcedores para estarem no Morumbi e elogiaram muito o barulho ouvido da arquibancada.

A conexão torcedor e time parece reconstruída pelo menos até o próximo jogo. Uma outra ainda está partida: a da diretoria com os são-paulinos. O recado passado pela arquibancada nesta quinta-feira é o de que o torcedor fará sua parte, seja para evitar o rebaixamento seja para beliscar uma vaga na Libertadores, Agora, a diretoria precisa dar condições melhores para que este cara esteja no Morumbi.

  • eduardo-tironi
  • são paulo
  • futebol
  • brasileirão
  • esportes
  • app