Eduardo Tironi

Jornalista há 28 anos, a maioria deles dedicados ao esporte, cobriu as Copas do Mundo de 1998 (França), pelo Notícias Populares, e 2006 (Alemanha) pelo Diário Lance!, onde foi editor-executivo. Sete anos como comentarista e editor-executivo na ESPN Brasil, tendo participado da cobertura da Copa do Brasil (2014) e da Olimpíada do Rio-2016 pelo canal.

Papo com Tironi

Palmeiras não será outro na final da Libertadores, mas pode melhorar

Por Eduardo Tironi 13/10/2021 • 08:53
Palmeiras sofreu no segundo tempo e ficou no empate com o Bahia
Palmeiras sofreu no segundo tempo e ficou no empate com o Bahia
Cesar Greco/SE Palmeiras

Dia 27 de novembro o Palmeiras tem seu compromisso mais importante do ano, a final da Libertadores. Até lá, tem 45 dias para se preparar para enfrentar o Flamengo.

Para ter chances contra um dos times mais poderosos atualmente do futebol brasileiro, vai precisar melhorar muito, como disse Rony ao final da partida desta terça-feira contra o Bahia, em que o time de Abel Ferreira empatou em 0 a 0 contra o Bahia na Fonte Nova.

A última vitória do Palmeiras aconteceu no dia 18 de setembro, 2 a 0 contra a Chapecoense. Desde então foram sete jogos, com quatro empates e três derrotas.

Em 45 dias é difícil imaginar que um time possa se transformar completamente a ponto de produzir outro tipo de jogo que não o que o Palmeiras produz hoje: defensivo, buscando alguma alternativa de velocidade para encaixar algum contra-ataque. Contra o Bahia a parte defensiva até funcionou e o time não sofreu gol. Mas ofensivamente foi inofensivo. Fato é que o time baiano dominou o jogo, sobretudo o segundo tempo, e poderia ter saído com a vitória.

Como mudar a cara deste time parece tarefa impossível, restará ao Palmeiras de Abel se fortalecer nos conceitos que já aplica em campo: melhorar defensivamente e ter muito mais poder ofensivo, mesmo que isso signifique conseguir algumas poucas escapadas em velocidade. O que se viu nos últimos jogos não foi isso.

A fé da torcida palmeirense está situada no seguinte raciocínio: são 90 minutos na final da Libertadores e é possível aprimorar o time para que ele dificulte a vida do Flamengo. Contra o Galo eram dois jogos e funcionou. Daquele confronto até aqui o time parece ter regredido. A missão será voltar pelo menos naquele nível de jogo.

  • eduardo-tironi
  • palmeiras
  • futebol
  • libertadores
  • esportes
  • app