Eduardo Tironi

Jornalista há 28 anos, a maioria deles dedicados ao esporte, cobriu as Copas do Mundo de 1998 (França), pelo Notícias Populares, e 2006 (Alemanha) pelo Diário Lance!, onde foi editor-executivo. Sete anos como comentarista e editor-executivo na ESPN Brasil, tendo participado da cobertura da Copa do Brasil (2014) e da Olimpíada do Rio-2016 pelo canal.

Papo com Tironi

Unidos, Palmeiras e Flamengo podem forçar um novo calendário

Por Eduardo Tironi 01/12/2021 • 13:19
Será que os times vão unir forças?
Será que os times vão unir forças?
Divulgação/Palmeiras/Cesar Greco

Abel Ferreira fez um duro discurso (mais um) contra o calendário insano do futebol brasileiro assim que o Palmeiras conquistou o tricampeonato da Libertadores, no sábado.

No fica não fica dele no clube em 2022, duas coisas pesam: a saudade da família e as condições de trabalho por aqui. Se o Palmeiras quiser continuar contando com os serviços do treinador que em pouco mais de um ano trouxe três títulos enormes para o clube, terá de se mexer.

Primeiro tentando fazer algo para aplacar a saudade da família. Trazer todo mundo de Portugal, como se fosse uma segunda chegada da Família Real ao Brasil? Quem sabe…

A outra parte é mais complicada, mas o cenário está posto. O Palmeiras é hoje um dos clubes mais poderosos do País. Pode, ao lado do seu treinador, tentar lutar por um calendário mais racional. Ou, em outra medida, desprezar o que pouco importa, como o Estadual, por exemplo. Mas alguma coisa pode e deve ser feita.

O Flamengo, vice da Libertadores, foi um dos clubes mais prejudicados pelas datas em 2021. Sobretudo com os jogos da Seleção em que os campeonatos locais não pararam. Tentou, a seu modo, lutar contra isso sozinho. Deu errado.

Campeão e vice têm interesses comuns neste momento. Um calendário mais racional tende a ser melhor para todos. O Galo, o outro megapoderoso do País, fez o que pôde para que o Campeonato Brasileiro não parasse este ano, para que ele também pudesse ser beneficiado pelos desfalques alheios. Em 2022, ele poderá também ser a vítima.

O G3 brasileiro pode trabalhar junto nessa. Resta saber se vão querer ou preferir reclamar quando algo der errado.

  • eduardo-tironi
  • palmeiras
  • flamengo
  • atlético-mg
  • futebol
  • app