Stephano Alba

Formado em Rádio e Televisão pela FAAP em 2016, mesmo ano que iniciei a jornada no BandSports, onde atualmente trabalho como editor. Diferente da maioria dos brasileiros que escolhem o esporte bretão, em 2003 me apaixonei pelo basquete. Torcedor do Denver Nuggets e defensor do pivôzão raiz, joguei como ala na base do Paulistano e defendi por alguns meses as cores da Rockrige School, de Vancouver (Canadá). Fui coordenador do Linha de 3, programa que dá nome a esta coluna apresentado na época pela lenda Álvaro José e que contava com os comentários de Danilo Castro, ex-armador da seleção brasileira. Tive a oportunidade de sentar à essa mesa algumas vezes para comentar o esporte, na minha opinião, mais frenético de todos os tempos. E é sobre ele que vamos falar aqui neste espaço semanalmente.

Linha de 3

Existem Lakers diferentes para alguns jogadores de Los Angeles

Por Stephano Alba 20/01/2022 • 16:36
Campeões de 2020 não conseguem encontrar caminho das vitórias
Campeões de 2020 não conseguem encontrar caminho das vitórias
Instagram/Los Angeles Lakers

Antes de a temporada começar a pergunta de 1 milhão de dólares era se o Lakers de LeBron, Davis e Westbrook daria certo. Hoje temos algumas respostas.

Os Lakers de LeBron vai bem. Mesmo aos 37 anos demonstra vigor e vontade de ganhar. Tem média de 28.8 pontos, 7.6 rebotes e 6.4 assistências por jogo. King James ainda chama para si a responsabilidade e pediu desculpas à nação do Los Angeles Lakers nas redes sociais. Em seu Twitter, publicou: “Peço desculpas e prometo que seremos melhores. Ou seja, o protagonista do Space Jam 2 sabe que esta realidade é paralela.

Os Lakers de Anthony Davis jogam bem quando ele entra em campo. AD jogou apenas 27 dos 45 jogos. Quando em quadra desempenha um bom papel, 23.3 pontos, 9.9 rebotes e 2.9 assistências por jogo. Funciona muito bem ao lado de Papai LeBron. Os dois já mostraram que são entrosados no título em 2020.

O Lakers do Westbrook é assim, no singular mesmo. Não à toa ficou os últimos 4 minutos do jogo contra o Indiana no banco. Frank Vogal decidiu não contar com o armador quando o time disputava ponto a ponto contra os Pacers. Aparentemente Russ não estava seguindo o que havia sido combinado pelos treinadores. Como ele não é Lebron acabou no banco.

Infelizmente para os torcedores dos Lakers, Westbrook mostrou que ele deveria procurar um esporte individual. Talvez ele pudesse chegar ao topo da ATP ou pendurar o cinturão do UFC na cintura. Ele não perderia nenhum dos famosos “X1” do Ibira, uma pena para ele que o basquete é um jogo coletivo.

  • stephano-alba
  • basquete
  • nba
  • los angeles lakers
  • esportes
  • app