Stephano Alba

Formado em Rádio e Televisão pela FAAP em 2016, mesmo ano que iniciei a jornada no BandSports, onde atualmente trabalho como editor. Diferente da maioria dos brasileiros que escolhem o esporte bretão, em 2003 me apaixonei pelo basquete. Torcedor do Denver Nuggets e defensor do pivôzão raiz, joguei como ala na base do Paulistano e defendi por alguns meses as cores da Rockrige School, de Vancouver (Canadá). Fui coordenador do Linha de 3, programa que dá nome a esta coluna apresentado na época pela lenda Álvaro José e que contava com os comentários de Danilo Castro, ex-armador da seleção brasileira. Tive a oportunidade de sentar à essa mesa algumas vezes para comentar o esporte, na minha opinião, mais frenético de todos os tempos. E é sobre ele que vamos falar aqui neste espaço semanalmente.

Linha de 3

Fãs do basquete têm presente de Natal antecipado

Por Stephano Alba 11/11/2020 • 08:19
LeBron liderou o Los Angeles Lakers na do título da última temporada
LeBron liderou o Los Angeles Lakers na do título da última temporada
Reprodução/Instagram LeBron James

Algumas perguntas ficaram soltas no ar após a coroação de LeBron James e companhia na última temporada da NBA: Quando vai ser o próximo pulo bola? Quantos jogos? Será que vai ter torcida?

Tudo isso, e alguns outros detalhes, foram oficializados. Vale lembrar que tudo o que foi decidido teve aprovação da Associação dos Jogadores da NBA (NBPA, sigla em inglês). A principal notícia, é claro, é a data definitiva do retorno do que tanto amamos, a temporada regular da Liga de Basquete Norte-Americana. Houve uma pequena disputa entre a comissão e os jogadores neste quesito. Os astros, em sua maioria, tentaram postergar o pulo bola para o início de janeiro, mais precisamente para o dia 18 (Martin Luther King Day), já que alguns jogadores entraram de férias apenas no dia 11 de outubro. Mas no braço de ferro as questões financeiras pesaram e o sindicato dos atletas acabou cedendo.

Então temos todas as datas definidas:

1 – 18 de novembro: Draft

2 – 20 de dezembro: Início das negociações dos agentes livres

3 – 22 de dezembro: Início da temporada

A NBA nem começou e já quebrou um recorde, desta vez não muito agradável: a marca de 71 dias de “offseason” é a menor da história entre as maiores ligas dos EUA (NHL, MLB, NFL e NBA).

Vamos ter algumas mudanças para a temporada 2020/2021. A mais notável é a diminuição do número de jogos. As franquias vão colocar suas estrelas em quadra em 72 oportunidades, ou seja, dez jogos a menos do que estamos acostumados. Isso, por sinal, é uma pauta frequente entre os especialistas. Além de cansar os jogadores mais do que o necessário, as vezes causa uma monotonia nos espectadores. Mas essa é uma medida provisória, o extenso calendário já foi confirmado para a temporada 2021/2022.

A questão salarial é também de extrema importância. O teto será de US$ 109 milhões (cerca de R$ 558 milhões) e algumas reduções foram acordadas. A pandemia afetou a economia de uma forma global, e a NBA não ficou fora. De acordo com a comissão, a liga pode perder até 40% de seu faturamento por conta dos portões fechados. Isso mesmo, até segunda ordem as arquibancadas vão continuar do jeito que estão: vazias.

Isso impacta o cofre das franquias e como consequência o dos jogadores. Houve uma conversa entre as partes e foi decidido uma redução salarial de 10%, caso haja necessidade uma nova redução será diluída nas próximas temporadas. O que não pode acontecer é em uma única temporada o salário ser reduzido em mais de 20%.

Diminuição de jogos, salários e inter-temporada. Isso não é o que esperamos para o basquete. Mas uma coisa é certa, quando o assunto é NBA, nunca vamos ter uma redução de jogadas espetaculares e partidas emocionantes.  

  • stephano-alba
  • NBA
  • basquete
  • Lebron James