Stephano Alba

Formado em Rádio e Televisão pela FAAP em 2016, mesmo ano que iniciei a jornada no BandSports, onde atualmente trabalho como editor. Diferente da maioria dos brasileiros que escolhem o esporte bretão, em 2003 me apaixonei pelo basquete. Torcedor do Denver Nuggets e defensor do pivôzão raiz, joguei como ala na base do Paulistano e defendi por alguns meses as cores da Rockrige School, de Vancouver (Canadá). Fui coordenador do Linha de 3, programa que dá nome a esta coluna apresentado na época pela lenda Álvaro José e que contava com os comentários de Danilo Castro, ex-armador da seleção brasileira. Tive a oportunidade de sentar à essa mesa algumas vezes para comentar o esporte, na minha opinião, mais frenético de todos os tempos. E é sobre ele que vamos falar aqui neste espaço semanalmente.

Linha de 3

Um é pouco, dois é bom e três é demais

Por Stephano Alba 17/03/2021 • 15:57
Família Ball invadiu a NBA e tem seu caçula como destaque
Família Ball invadiu a NBA e tem seu caçula como destaque
Instagram/LaMelo Ball

Antes de tudo, temos que entender quem é LaVar. O “Paterfamilias” que desde o início de seu relacionamento com a também jogadora de basquete Tina disse que teria só filhos homens e todos eles jogariam na melhor liga da modalidade do mundo, a NBA. O cara pode ter um pensamento ultrapassado, mas ninguém pode falar que LaVar Ball não cumpriu o prometido. Ele construiu uma quadra nos fundos de sua casa e ao longo da vida de seus três filhos, Lonzo, LiAngelo e LaMelo, foi mais que uma figura paterna, foi treinador. Talvez até seja possível enxergar aquela famosa frustração que alguns pais têm e colocam em seu filho um certo peso daquilo que eles nunca conseguiram ser. O Sr. Ball em sua juventude foi um atleta de futebol americano que passou despercebido aos olhos dos amantes do esporte.

A máquina de jovens basqueteiros também é boa em construir manchetes. Muito se ouvia sobre o excelente e incomparável Lonzo antes mesmo do armador estrear na liga. Talvez a frustração de muitos venha das megalomaníacas palavras de LaVar. O primeiro Ball a entrar na NBA foi a segunda escolha do draft de 2017 e foi cobrado como tal pelos torcedores do Los Angeles Lakers. Azar o dele. Possivelmente o pai coruja ache que seu herdeiro jogue mais do que realmente pode. Não que Lo Ball seja ruim, mas este jogador que hoje defende o Pelicans está longe de ser o que todos achavam que seria. Lembrando que em 2017 nomes como Jayson Tatum, De’Aaron Fox e Donovan Mitchell estavam disponíveis no mercado de novatos.

Após algumas temporadas em baixa, as ações da família Ball voltaram a subir graças ao caçula LaMelo. O armador de 19 anos foi a terceira escolha do Draft desta temporada e cumpre todos os requisitos de um “Rookie of the year”. O menos badalado dos irmãos é o mais ousado dentro de quadra. Vemos jogadas serem resolvidas nos segundos finais, aquelas que mostram que a mão não treme quando a cabeça está pressionada. Podemos enxergar em alguns lances movimentos diferentes de um jogador que foge do comum. Por enquanto, com as cores do Charlote Hornets, são 15.8 pontos, 6 rebotes e 6.3 assistências por jogo. Ele é um dos mais cotados para o prêmio de calouro do ano, mas esta disputa será melhor explicada em um outro texto desta mesma coluna.

A única coisa que Lonzo tem mais que LaMelo é o número de seguidores no Instagram. Enquanto o mais velho tem 9,3 milhões, o pequeno Ball possui 6,5 milhões de admiradores virtuais. Número que não significa muita coisa, mas que provavelmente será outro nas próximas temporadas. Tudo indica que LaMelo também vai ultrapassar seu irmão mais velho neste quesito.

Mas espera aí, após tantas palavras escritas nada foi dito sobre LiAngelo. Essa missão eu deixo para aquele que mais gosta de enaltecer a família Ball. Para saber mais sobre o agente livre que foi dispensado pelo Detroit é só acompanhar as próximas barbaridades ditas por LaVar.

  • stephano-alba
  • nba
  • basquete
  • lonzo ball
  • lamelo
  • ball
  • app