Grohe isenta de culpa jogadores da barreira em gol de CR7

No lance decisivo, em cobrança de falta de Cristiano Ronaldo, a bola passou entre Luan e Barrios, surpreendendo o goleiro

Apesar do domínio do Real Madrid na final do Mundial contra o Grêmio, neste sábado, o gol decisivo da vitória por 1 a 0 saiu em um lance tolo. Aos 7 minutos do segundo tempo, Cristiano Ronaldo fez algo raro: cobrou mal uma falta, à meia altura, mas a bola passou no meio da barreira, entre Luan e Lucas Barrios, e acabou na meta de Marcelo Grohe. Após o jogo, o goleiro disse que não havia revisto a jogada, mas evitou culpar os companheiros.

“Não vi ainda o lance, a sensação foi esse (de que a bola passou pela barreira), mas não tenho eu ficar culpando ninguém. Quando vence, vence todo mundo. Quando perde, perde todo mundo. A gente sabia que o Cristiano Ronaldo tem essa arma, uma cobrança de falta muito boa. Infelizmente demos uma vacilada”, declarou Grohe depois o jogo à Rádio Bandeirantes de Porto Alegre.

O arqueiro lamentou que o gol tenha saído cedo na etapa final. Para Grohe, se o time conseguisse segurar o Real por mais tempo, o Grêmio poderia ter melhor sorte.

“Se a gente conseguisse levar mais um pouco o zero a zero, talvez levasse mais nervosismo para eles. Mas tomamos o gol e tivemos que sair para frente, e a equipe deles teve os contra-ataques”, afirmou o goleiro, que mostrou estar resignado e satisfeito com o ano do Grêmio, tricampeão da Libertadores. E ainda exaltou o rival.

“Fizemos o que pudemos. Agora é voltar ao Brasil e pensar no ano que vem”, disse. “No contexto geral, eles (Real) mereceram a vitória. A gente fez o que estava ao nosso alcance. Saímos de cabeça erguida. São jogadores (do Real) que parecem não ser desse planeta”, afirmou Grohe.

Decisão teve briga de torcedores e invasão de campo. Veja as fotos

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário