Técnico do Once Caldas acusa goleiro rival de racismo

Hubert Bodhert denunciou durante coletiva os ataques racistas do uruguaio Lucero Álvarez

Uma confusão marcou o jogo entre Once Caldas e Rionegro Águilas, válido pela nona rodada da Primeira División do futebol colombiano. A polêmica ganhou proporções após o técnico Hubert Bodhert acusar o goleiro adversário, Lucero Álvarez, de racismo, após a partida da última segunda-feira, 10.

Bodhert, comandante do Once Caldas, afirmou durante sua coletiva de imprensa que o uruguaio fez ataques racistas e xenófobos contra ele e o atacante Johan Carbonero. O goleiro do Rionegro Águilas, que ganhou o jogo por 1 a 0 dando fim à invencibilidade do adversário, tinha sido expulso no final da partida.

Segundo o técnico, o uruguaio chamou Carbonero de “negro”, acompanhado por palavras pejorativas. “O que aconteceu? Simples, toda a festa do senhor Lucero chamando o menino Carbonero de 'negro de ...' e me insultando. Ele tem que me respeitar. Nós não somos indígenas. Um estrangeiro não pode vir e nos maltratar”, disse.

"Somos negros com muita honra, estamos orgulhosos de sermos negros. Um jogador não pode vir e maltratar um jovem de 20 anos. Na Colômbia, não somos para isso. Eu exigi respeito”, completou Bodhert, contando que o árbitro estava presente no momento das reclamações. Lucero Álvarez se defendeu e negou as acusações racistas. De acordo com o goleiro, a confusão teria sido causada por um “calor do jogo”.

Em nota, o Once Caldas condenou o racismo e cobrou uma posição das autoridades do futebol colombiano. "O Caldas pede à Comissão Disciplinar da Federação Colombiana de Futebol para aplicar o código com todo rigor e adotar sanções exemplares para erradicar o comportamento racista do futebol profissional colombiano."

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário