Equipes da Alemanha criam fundo de R$ 110 milhões para ajudar clubes em crise

Os principais times da Alemanha se reuniram para criar um fundo solidário para ajudar times das duas divisões do campeonato nacional

Borussia Dortmund, Bayern de Munique, RB Leipzig e Bayer Leverkusen se juntaram e anunciaram nesta quinta-feira a criação de um fundo solidário de 20 milhões de euros (R$ 110 milhões), com o intuito de ajudar clubes alemães, das duas primeiras divisões, a enfrentarem possíveis crises derivadas da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O Campeonato Alemão voltaria à normalidade em abril. Contudo, o Comitê Executivo da Liga Alemã de Futebol (DFL, na sigla em alemão) prorrogou na última terça-feira o período de suspensão da primeira e segunda divisão do futebol nacional até 30 de abril, o que aprofundará, ainda mais, o impacto das receitas dos clubes do país.

O Borussia Dortmund afirmou que as quatro equipes da Alemanha, que disputam ou disputaram a Liga dos Campeões da Europa nesta temporada, renunciaram parte de sua receita nacional de mídia - cerca de 12,5 milhões de euros (R$ 68,5 milhões) - e adicionaram outros 7,5 milhões de euros (R$ 41 milhões) para o fundo.

"Estamos preparados para ajudar outros profissionais do futebol, clubes. Em última análise, é uma questão de amortecer os efeitos da pandemia", esclareceu Hans-Joachim Watzke, CEO do Borussia Dortmund, em comunicado oficial divulgado nesta quinta-feira.

Não é a primeira vez que clubes alemães ajudam uns aos outros em situações de crises econômicas. Em 2005, o Borussia Dortmund chegou à beira da falência. Contudo, em um gesto solidário, o Bayern de Munique realizou um empréstimo, sem juros, para o pagamento de salários atrasados aos jogadores.

Apesar de não terem discutido os critérios de divisão do fundo, a Liga Alemã agradeceu a iniciativa das equipes. "O Comitê Executivo da DFL é muito grato aos quatro participantes da Liga dos Campeões, pelo gesto em direção à nossa comunidade de clubes", disse Christian Seifert, porta-voz do Comitê Executivo.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário