Esse país não merecia ter um Pelé ou um Ayrton Senna, diz Neto

Apresentador relembrou dos 62 anos da conquista da Copa do Mundo de 58 e lamentou a desvalorização dos ídolos no Brasil

No Os Donos da Bola desta segunda-feira, 29, o apresentador Neto começou o programa relembrando os 62 anos do primeiro título mundial da Seleção Brasileira e homenageando grandes nomes do futebol brasileiro, como Pelé e Zagallo, e destacou que o Brasil não merecia ter alguns ídolos que tem.

Fogaça revela seu prato favorito da infância

“Hoje, completa 62 anos do primeiro título de 58, que o Edson Leite narrou de uma maneira muito bonita. É o primeiro título depois de 50 e 54, e o Pelé prometeu para o papai dele ‘eu vou dar o título para o senhor’ e aos 17 anos ele deu o título. Que por sinal, em 70, para aqueles que não sabem, o único bicampeão do mundo, naquele ano, foi o Pelé, depois todos os outros se tornaram tricampeões do mundo. Só que ele foi o primeiro campeão do mundo, diga-se de passagem, com o Zagallo, que é muitas vezes, de uma maneira pejorativa, as pessoas não tem o entendimento do Zagallo. Falo por mim, que venho mudando com a idade e tentando ser um pouco mais responsável com aquilo que eu falo”, disse Neto, abrindo o programa.

Depois, o apresentador comentou que o país não merece os ídolos que tem, por não os valorizar e pela situação que o Brasil se encontra.

“Esse país aqui não merecia ter um Pelé, esse país aqui não merecia ter um Ayrton Senna, esse país aqui não merecia ter um Zagallo. Sabe porquê? As pessoas, hoje, por exemplo, falam que tem doutorado e não tem. Falam que tem coiso e não tem, fala que tem mestrado e não tem”, finalizou Neto.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário