Jogador do Orlando Magic se recusa a ajoelhar por questões religiosas

Jonathan Isaac se tornou o primeiro atleta a não participar de protesto antes dos jogos da NBA

Desde a retomada da temporada da NBA, na quinta-feira passada, um gesto vem sendo repetido pelos atletas durante a execução do hino dos Estados Unidos antes de todos os jogos. Vestidos com uma camiseta com a inscrição Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em português), todos os jogadores têm se ajoelhado em protesto contra o racismo e por igualdade de direitos. O que se viu na sexta, no entanto, foi diferente.

Antes da partida entre Brooklyn Nets e Orlando Magic, na “bolha” da NBA dentro de um complexo esportivo da Disney, em Orlando, Flórida, Jonathan Isaac, jogador negro do Magic, se recusou a usar a camiseta do movimento e a ficar de joelhos, como todos os outros, tornando-se o primeiro atleta a não participar do protesto.

Após o jogo, vencido pelo Magic por 128 a 118, Isaac, que registrou seis rebotes e marcou seis pontos, disse que não tolerava o racismo e acreditava que vidas negras são importantes, mas destacou que o ato de ajoelhar ou vestir a camiseta não condizia com suas crenças religiosas.

“Para mim, pessoalmente, não acho que ajoelhar ou vestir uma camiseta seja a resposta. Sinto que vidas negras são apoiadas pelo Evangelho, todas as vidas são amparadas pelo Evangelho”, afirmou o jogador de 22 anos que também é pastor.

“Conversei com meus colegas de equipe. Tivemos uma reunião. Eles sabem quem eu sou como pessoa. Sabem no que eu acredito, e eles respeitam a decisão que eu tomei”, acrescentou Isaac.

O movimento Black Lives Matter ganhou as ruas dos EUA e cidades pelo mundo após o assassinato de George Floyd, que foi asfixiado por um policial branco até a morte, em maio.

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário