Notícias

Além das pistas: por que Vettel foi a melhor pessoa da F1 na temporada 2021

Da Redação Bandsports 12/12/2021 • 08:13 - Atualizado em 12/12/2021 • 15:06
Tetracampeão se destacou com belas ações em defesa de causas sociais
Tetracampeão se destacou com belas ações em defesa de causas sociais
Instagram/Sebastian Vettel

Sebastian Vettel marcou seu nome na Fórmula 1 com o tetracampeonato pela Red Bull entre 2010 e 2013. Depois de uma passagem sem conquistas pela Ferrari, o alemão correu em 2021 pela modesta Aston Martin e ficou longe da briga por vitórias.

Se o desempenho nas 22 etapas até então ficou aquém do esperado para um dos mais talentosos nomes do grid, por outro lado o piloto de 34 anos deu show fora das pistas e mostrou que um verdadeiro campeão também pode ser feito de atitudes nobres que ultrapassam a barreira do esporte.

Veja abaixo alguns momentos marcantes de Seb ao longo do ano, desde ações pela sustentabilidade até a luta pelos direitos da comunidade LGBTQIA+.

Cuidando das abelhas
Entre os dois GPs disputados na Áustria, Vettel aproveitou um momento de folga para construir um hotel para abelhas próximo ao circuito Red Bull Ring. O alemão apoia em seu país a campanha #BioBienenApfel (abelhas orgânicas) e se reuniu com estudantes da região da Estíria para lançar o desafio de construir o hotel de abelhas em forma de carro de corrida, visando conscientizar as crianças da necessidade de proteger os insetos, fundamentais para a polinização de várias culturas.

“Eu tinha um grupo de crianças comigo para construir o carro de corrida. A ideia era ter um pouco mais de espaço para os insetos, e, em particular, para as abelhas. Espero que muitas flores floresçam no local e muitas abelhas venham para a nova casa, que será gratuita”, falou Vettel, com seu característico bom humor.

Alemão ensinou as conscientizar as crianças da necessidade de proteger os insetos. Foto: Reprodução


Coleta de lixo
O tetracampeão deu mais um belo exemplo ecológico ao recolher o lixo das arquibancadas do circuito de Silverstone. Em vídeo divulgado pela própria Fórmula 1, Vettel apareceu de máscara e luvas e se uniu aos funcionários da equipe de limpeza do autódromo inglês. A cena foi celebrada por torcedores que ainda estavam no local e aplaudiram a atitude do piloto.

E o “trabalho” de Vettel após a corrida não parou por aí. No dia seguinte, ele foi até a cidade de Slough para acompanhar o processo de reciclagem do lixo coletado durante o GP. "Acho que é importante que todos respeitem o meio ambiente e que não fiquem contando que outras pessoas vão fazer a limpeza pela gente. Temos que começar com alguma coisa e cada um de nós pode fazer a diferença agora", disse o piloto.

Cansaço após a corrida? Não para o sustentável Vettel. Instagram/Aston Martin


Luta pela igualdade de gênero na Hungria
A pauta pelos direitos da população LGBTQIA+ também fez parte da temporada do alemão. Na Hungria, Vettel desafiou o conservadorismo do país ao vestir uma camiseta com as cores do arco-íris e as palavras Same Love (amor igual, em português). Ele também estampou o símbolo da comunidade no capacete com a seguinte frase: “Mude o mundo de bitoca em bitoca”.

O piloto da Aston Martin recebeu uma reprimenda da F1 por causa da atitude, mas não se importou: “Eu ouvi falar que é porque eu continuei com a camisa durante o hino nacional. O que vocês acham disso? Eu fico feliz se me desclassificarem. Eles podem fazer o que quiserem. Não me importo, faria de novo”, afirmou.

O governo do primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán proibiu, por exemplo, que transgêneros possam mudar de nome e fez com que a definição legal de família considere apenas aquelas formadas por um pai do sexo masculino e uma mãe do sexo feminino.

especialvettel2
Capacete de Vettel na Hungria teve arco-íris contra a intolerância do governo. Instagram/Vettel


Inclusão das mulheres da Arábia Saudita
Vettel encerrou o ano promovendo uma corrida de kart apenas com mulheres na Arábia Saudita, país conhecido pelo péssimo tratamento aos direitos humanos e preconceito contra minorias. O público feminino é alvo de uma série de restrições e pôde tirar a carteira de motorista apenas a partir de 2018.

Foi a primeira vez que a F1 correu no país e o alemão não desperdiçou a chance de fazer história mais uma vez com um grande gesto de inclusão. “Eu realmente tento pensar nos aspectos positivos, então iniciei meu próprio evento de kart hoje sob o nome ‘Race for Women’ (correndo pelas mulheres, em português). Acho que tivemos um grupo de sete a oito mulheres na pista, e criei um bom evento para elas. Estava tentando transmitir algumas das experiências de vida e no caminho certo para fazer algo junto que aumente a confiança delas”, explicou o alemão.

O quatro vezes campeão mundial também homenageou as mulheres sauditas com uma nova pintura no capacete na penúltima prova da temporada da F1.

Vettel levou mulheres às pistas na Arábia Saudita. Instagram/Vettel