Notícias

Brasil festeja baile de Rebeca, bronze de Mayra e vitórias no vôlei em Tóquio; veja resumo

Da Redação BandSports 29/07/2021 • 13:12
Rebeca Andrade: prata inédita para ginástica feminina brasileira
Rebeca Andrade: prata inédita para ginástica feminina brasileira
Jonne Roriz/COB

O Brasil viveu emoções fortes entre a noite de quarta-feira, 28, e a manhã desta quinta-feira, 29, nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, com destaque para o bronze de Mayra Aguiar no judô e a prata de Rebeca Andrade na ginástica.

Confira os principais destaques deste dia olímpico que teve ainda vitórias importantes ao país no vôlei de quadra e de praia, derrota no tênis e handebol e muito mais!

Rebeca faz Baile de Favela em Tóquio

Três cirurgias no joelho em quatro anos não evitaram que Rebeca Andrade fizesse história em Tóquio e se tornasse a primeira ginasta brasileira a subir no pódio em Olimpíadas depois de faturar a prata no individual geral feminino. 

A paulista de 22 anos teve excelente desempenho nos quatro aparelhos - salto, barras assimétricas, trave e solo (este ao som de Baile de Favela) - e fechou a série com o total de 57.298. Ela foi superada apenas pela norte-americana Sunisa Lee, que levou o ouro com 57.433.

“Sempre vi minha história como um processo de superação. Toda vez que eu me machuquei,eu  tentava voltar melhor e encarava como uma coisa positiva, para crescer de dentro para fora. Sou grata a todas as pessoas que me ajudaram a chegar até aqui. Não foi sozinha”, afirmou Rebeca

Judô: Mayra fatura terceira medalha olímpica

Mayra Aguiar manteve a doce rotina de subir no pódio em Jogos Olímpicos. A judoca gaúcha derrotou a sul-coreana Hyunji Yoon e faturou a medalha de bronze em Tóquio, repetindo os resultados alcançados em Londres-2012 e na Rio-2016 na categoria até 78kg.

A atleta de 29 anos alcançou um feito histórico com a conquista na arena Budokan. Ela se tornou a primeira brasileira a ganhar três medalhas em esportes individuais em Olimpíadas, coroando um ciclo delicado - Mayra chegou a ficar 16 meses sem lutar por causa de um problema no joelho.

“Acho que é a conquista mais importante para mim. Foram difíceis os últimos tempos, bem difíceis, tem que superar, superar de novo e de novo. Não aguentava mais fazer cirurgia, ainda mais no momento que vivemos, tive medo, angústia. Mas continuei. Dar o nosso melhor vale a pena”, disse a brasileira, emocionada

Vitórias no vôlei

Na quadra, o Brasil bateu o Japão por 3 a 0, com parciais de 25/16, 25/18 e 26/24, e segue invicto após três rodadas do vôlei feminino nos Jogos de Tóquio. A próxima partida, neste sábado, é contra a Sérvia, que lidera o grupo. 

O país também teve alegrias na praia. No feminino, Ágatha e Duda bateram as canadenses Bansley e Wilkerson por 2 sets a 0 (21/18 e 21/18) e estão nas oitavas de final. Já no masculino, Alison e Álvaro Filho derrotaram os holandeses Brouwer e Meeuwsen pelo mesmo placar (21/14 e 24/22) e também avançaram. 

Pigossi e Stefani vão disputar o bronze no tênis

Após uma classificação histórica para as semifinais, Luisa Stefani e Laura Pigossi foram derrotadas por 2 sets a 0 pelas suíças Belinda Bencic e Viktorija Golubic, com parciais de 7/5 e 6/3, e vão disputar a medalha de bronze nas duplas femininas da Olimpíada. Já no simples masculino, Novak Djokovic atropelou o japonês Kei Nishikori e está a duas vitórias do ouro inédito. 

Cachorrão é o oitavo nos 800m livre

Na natação, a estreia dos 800m livre em Jogos Olímpicos contou com vitória norte-americana. Em uma prova emocionante até os últimos metros, Robert Finke registrou o tempo de 7min41s87 e superou o italiano Gregorio Paltrinieri, que dominou a maior parte do percurso. Já o brasileiro Guilherme Costa, o Cachorrão, ficou no oitavo e último lugar. 

Outro destaque do dia na piscina em Tóquio foi a disputa da tradicional prova dos 100m livre. Com a incrível marca de 47s02, o norte-americano Caeleb Dressel ficou com o ouro e ainda quebrou o recorde olímpico. O australiano Kyle Chalmers e o russo Kliment Kolesnikov completaram o pódio.

Verthein e Sátila sem medalhas

Em uma campanha histórica para o remo brasileiro nos Jogos Olímpicos, Lucas Verthein ficou com a quinta colocação de sua bateria na semifinal do skiff simples e se despediu do sonho de medalha em Tóquio. Ele vai disputar a final B, que definirá da sétima à 12ª colocações da modalidade.

Já Ana Sátila ficou fora do pódio na canoagem slalom C1 em Tóquio. Ela avançou à final com o terceiro melhor tempo, mas cometeu um erro na disputa que valia o ouro e terminou na 10ª posição com a marca de 164.71.

Na vela, Robert Scheidt teve uma quinta-feira discreta, caiu uma posição e agora ocupa o quarto lugar na classificação geral da classe laser nos Jogos de Tóquio, ainda no grupo que avança para disputar a Medal Race. 

Handebol feminino perde invencibilidade

A seleção comandada pelo técnico Jorge Dueñas parou em dia inspirado da goleira Silvia Navarro e foi superada pela Espanha por 27 a 23. Em terceiro do grupo (quatro classificam), o Brasil volta à quadra no sábado, contra a Suécia. 

Já  no ciclismo BMX,  o brasileiro Renato Rezende avançou às semifinais no masculino, enquanto Priscilla Stevaux caiu nas quartas no feminino. 

Tóquio no Bandsports

O Bandsports faz cobertura completa dos Jogos de Tóquio-2020, 24 horas por dia. Fique de olho e não perca as emoções da Olimpíada!

  • tóquio 2020
  • rebeca andrade
  • mayra aguiar
  • olimpíadas
  • bandsports
  • app