Notícias

Brasil vence Espanha na prorrogação e conquista o bicampeonato olímpico

Da Redação Bandsports 07/08/2021 • 11:06 - Atualizado em 07/08/2021 • 11:22
Malcom saiu do banco e garantiu o ouro nos Jogos de Tóquio
Malcom saiu do banco e garantiu o ouro nos Jogos de Tóquio
Lucas Figueiredo/CBF

O ouro olímpico no futebol masculino veio para ficar. Cinco anos depois da tão aguardada conquista inédita no Rio de Janeiro, a seleção faturou o bicampeonato nos Jogos de Tóquio com a vitória por 2 a 1 sobre a Espanha na prorrogação.

No estádio de Yokohama, palco do pentacampeonato em 2002, Malcom saiu do banco e colocou o Brasil no lugar mais alto do pódio pela segunda vez consecutiva. Essa é a sétima medalha da modalidade e a quarta consecutiva. A seleção vinha do bronze em Pequim-2008, prata em Londres-2012 e ouro na Rio-2016.

A Espanha começou jogando no campo de ataque e dificultou muito a saída de jogo de Brasil. A primeira grande chance saiu aos 15. Oyarzabal escorou de cabeça, Diego Carlos se antecipou a Olmo e afastou o perigo praticamente em cima da linha.

A seleção foi entrando aos poucos na partida com as escapadas de Antony, mas só conseguiu ameaçar o gol no chute desviado de Douglas Luiz. Aos 33, Unai Simón saiu mal do gol e atingiu Matheus Cunha. O árbitro foi chamado pelo VAR e marcou pênalti. Richarlison muito mal e isolou a oportunidade de abrir o placar.

O Brasil já era melhor na partida e o gol saiu aos 46. Claudinho cruzou, Daniel Alves evitou a saída e Matheus Cunha aproveitou a indecisão da defesa para se livrar de três marcadores e fazer 1 a 0.

O time de André Jardine voltou do intervalo disposto a matar o jogo e por muito pouco não marcou o segundo logo aos seis minutos. Richarlison se livrou bonito da marcação, mas finalizou no travessão. O erro custou caro. Aos 14, Soler avançou nas costas de Guilherme Anara e cruzou com precisão para Oyarzabal, que apareceu livre e pegou de primeira sem chances para o goleiro Santos: 1 a 1.

Sem alterações, o Brasil sentiu o cansaço e viu a Espanha crescer no jogo. A equipe só não virou no tempo normal porque Soler e Bryan Gil acertaram a trave nos minutos finais.

Malcom foi a campo na prorrogação e mudou o jogo. Após criar boas chances no primeiro tempo, o atacante do Zenit brilhou aos 2 minutos da segunda etapa. Antony deu belo lançamento, o ex-corintiano ganhou do zagueiro na corrida e bateu na saía de Unai Simón para definir a conquista.

  • brasil
  • espanha
  • futebol
  • tóquio-2020
  • esportes
  • olimpíadas
  • app