Notícias

Brasil vive conto de fadas no skate e brilha no surfe e vôlei; veja resumo do dia

Da Redação BandSports 26/07/2021 • 13:25 - Atualizado em 26/07/2021 • 13:30
Fadinha do skate, Rayssa Leal faturou prata em Tóquio
Fadinha do skate, Rayssa Leal faturou prata em Tóquio
Wander Roberto/COB

No quinto dia de competições, o Brasil conquistou sua terceira medalha nos Jogos de Tóquio. Do alto dos seus 13 aninhos, Rayssa Leal quebrou a internet, desbancou as concorrentes e faturou a prata na madrugada desta segunda-feira, 26, no skate street. 

O país também teve bons resultados no surfe, com Gabriel Medina, Italo Ferreira e Silvana Lima vivos na disputa pelo pódio, e no vôlei, com mais uma vitória na praia e na quadra - esta última em uma verdadeira batalha contra a Argentina no masculino. 

Confira abaixo os principais destaques de mais um dia dos Jogos de Tóquio, que contam com cobertura completa do Bandsports.  

Rayssa Leal faz história

A maranhense não se contentou apenas em ser a mais jovem atleta olímpica da história do Brasil, ignorou o peso da competição e brilhou no Ariake Park Skateboarding. Dançando com as concorrentes entre uma manobra e outra, a Fadinha fechou a final com 14.64 e ficou com a medalha de prata, sendo superada apenas pela japonesa Momiji Nishiya (15.26).

“Tento não me preocupar tanto com a competição e sim me divertir, que é o que eu sei fazer de melhor. Todo meu esforço valeu a pena”, comemorou a jovem em entrevista ao Bandsports.

Listadas entre as favoritas, as outras duas brasileiras na prova de street do skate olímpico ficaram sem uma das oito vagas na final. Pâmela Rosa, número um do mundo, foi apenas a décima em Tóquio e revelou que competiu lesionada. Já Leticia Bufoni, hexacampeã do X Games, ficou em nono. “Coloquei muita pressão em mim mesma”, lamentou. 

Brazilian Storm brilha

Cresce cada vez mais a chance de uma final 100% brasileira na estreia do surfe no calendário olímpico. Na madrugada desta segunda-feira, Gabriel Medina e Italo Ferreira brilharam nas ondas de Tsurigasaki e garantiram vaga nas quartas de final dos Jogos de Tóquio. Medina eliminou o australiano Julian Wilson, enquanti Italo superou o neozelandês Billy Stairmand. 

No feminino, Silvana Lima também se garantiu nas quartas ao derrotar a portuguesa Teresa Bonvalot. Na sequência da cearense, foi a vez de Tatiana Weston-Webb entrar em ação. Quarta colocada no ranking da WSL, a gaúcha somou 9.0 pontos contra 10.33 da japonesa Amuro Tsuzuki e se despediu do sonho olímpico.

Vôlei: vitórias na areia e na quadra

Era início de madrugada no Brasil quando Ana Patrícia e Rebecca Cavalcante estrearam com vitória tranquila sobre Gaudencia Makokha e Brackcides Khadambi, do Quênia. Com isso, todas as duplas do vôlei de praia do país venceram na primeira rodada em Tóquio. 

Já era madrugada na capital japonesa quando Brasil e Argentina fizeram um jogaço no vôlei de quadra masculino. Os nossos hermanos abriram 2 a 0, mas o time de Renan Dal Zotto reagiu e levou a partida ao tie-break antes de confirmar uma virada histórica: 3 sets a 2, com parciais de 19/25, 21/25, 25/16, 25/21 e 16/14. Veja como foi!

Natação: Leonardo de Deus e Fernando Scheffer nas finais

Com o oitavo melhor tempo das semifinais, Fernando Scheffer avançou à decisão dos 200m livre em Tóquio. O brasileiro ficou em terceiro na sua bateria com o tempo de 1min45s71. Já na final dos 200m borboleta, o representante nacional será Leonardo de Deus, que avançou com a melhor marca da carreira (1min54s83, terceiro melhor tempo das eliminatórias). 

Ainda nas piscinas, o quarteto dos Estados Unidos confirmou o favoritismo e conquistou a medalha de ouro no revezamento 4x100m livre. O Brasil ficou em oitavo com Breno Correia, Pedro Spajari, Gabriel Santos e Marcelo Chierighini. 

No feminino teve surpresa: grande estrela da natação, Katie Ledecky sentiu pela primeira vez o gosto amargo de perder uma final olímpica individual na carreira. A norte-americana dona de cinco ouros foi superada pela australiana Ariarne Titmus em uma prova emocionante e ficou com a prata nos 400m livre.

Taekwondo e judô passam em branco

Milena Titoneli chegou a disputar a medalha de bronze na categoria até 67kg do taekwondo, mas perdeu para a marfinense Ruth Gbagbi por 12 a 8. Já no masculino, Ícaro Miguel foi derrotado por Alessio Simone, da Itália, logo na estreia.

O Brasil também teve um representante no judô nesta segunda-feira. Na categoria até 73 kg, Eduardo Barbosa perdeu no golden score para o francês Guillaume Chaine e caiu na primeira luta em Tóquio.  

Brasil no handball, esgrima, badminton e mountain bike

Após perder a estreia para a Noruega, o Brasil foi derrotado por 34 a 29 pela França no ginásio Yoyogi e segue sem pontos no Grupo A do hanball masculino.

Na esgrima masculina, Guilherme Toldo foi derrotado por 15 a 10 pelo japonês Toshya Saito no florete na estreia e encerrou sua terceira participação olímpica. 

No badminton, Ygor Coelho garantiu a primeira vitória do país na categoria em Olimpíada ao derrotar Georges Julien Paul, das Ilhas Maurício, por 2 a 0, com parciais de 21-5 e 21-16.

O Brasil teve ainda dois representantes no mountain bike. Henrique Avancini ficou em 13º e fez o melhor resultado do país na história da categoria. Já Luiz Henrique Cocuzzi foi o 27º. 

Djokovic e Osaka seguem em busca de ouro

A madrugada também reservou emoções nas chaves de simples de tênis masculino e feminino em Tóquio. Em busca de um Golden Slam, o sérvio Novak Djokovic venceu o alemão Jan-Lennard Struff por 2 sets a 0 e garantiu um lugar nas oitavas de final. Número dois do mundo, o russo Daniil Medvedev também avançou. Veja os resultados aqui. 

Entre as mulheres, destaque para a japonesa Naomi Osaka, que confirmou o favoritismo, bateu a suíça Viktorija Golubic por 2 sets a 0 e está nas oitavas de final. A madrugada, porém, teve queda de duas cabeças de chave: a bielorrussa Aryna Sabalenka e a tcheca Petra Kvitova. Saiba mais aqui. 

O Bandsports faz cobertura completa dos Jogos de Tóquio-2020, 24 horas por dia. Fique de olho e não perca as emoções da Olimpíada!

  • bandsports
  • tóquio 2020
  • app
  • olimpíada
  • rayssa leal
  • vôlei
  • medina