Notícias

Calleri é apresentado pelo São Paulo: “Dinheiro é secundário. Venho para jogar e ser feliz”

Da Redação BandSports, com Rádio Bandeirantes 08/09/2021 • 14:53 - Atualizado em 09/09/2021 • 12:11
Em apresentação, argentino falou sobre carinho da torcida, carreira e situação do clube
Em apresentação, argentino falou sobre carinho da torcida, carreira e situação do clube
Divulgação/Rubens Chiri/saopaulofc.net

O atacante Jonathan Calleri foi oficialmente apresentado pelo São Paulo, nesta quarta-feira, 8. Essa é a segunda passagem do jogador pelo clube. Na primeira, em 2016, ele marcou 16 gols em 31 jogos e foi artilheiro da Libertadores com nove tentos. 

Sonho antigo da torcida Tricolor, o argentino revelou os motivos que fizeram com que ele retornasse ao Morumbi, e fez uma breve análise sobre sua passagem pela Europa.

"Estou muito contente por vestir novamente a camisa do São Paulo. Agradecer aos dirigentes e torcedores que quiseram meu retorno. Sempre me mandando mensagens de carinho. Nunca teve uma oportunidade certa de voltar a jogar aqui. Teve uma relação com Alexandre Pássaro [antigo diretor], mas nunca teve uma oportunidade concreta. A primeira vez que foi algo certo de que queria voltar também. Hoje eu quero jogar aqui. Hoje sou outro jogador, tenho mais de 100 partidas na Europa. Como características, creio que são as mesmas, mas posso colocar mais experiência na equipe", contou.

Aos 27 anos, Calleri passou pelo futebol inglês e espanhol nos últimos anos, atuando por West Ham, Las Palmas, Alavés, Espanyol e Osasuna, no entanto, sem conseguir repetir as boas atuações que conquistaram os são-paulinos.

"Não joguei em nenhum clube grande, o último foi o São Paulo. É diferente jogar em um clube pequeno, é um outro estilo de jogo", explicou sobre a passagem pelo Velho Continente.

Empolgado com o retorno ao clube, o atacante também aproveitou para explicar a escolha pela camisa de número 30. Na primeira passagem ele optou pela 12, hoje usada por Vitor Bueno: "Da outra vez quis usar o 27, mas não dava por conta da Libertadores e escolhi a 12. É um número que eu gostei, mas na nova temporada devo trocar outra vez", destacou.

Antes de encerrar a entrevista coletiva, Calleri ainda comentou a possibilidade de estar à disposição do técnico Hernán Crespo para o jogo do final de semana contra o Fluminense, válido pela 20ª rodada do Brasileirão, e minimizou os problemas financeiros do São Paulo.

"Sempre quero jogar. Tem três meses, quatro meses que não entro em campo. Creio que esses dias eu treine com o grupo e a esperança é que eu continue treinando pra ficar o mais rápido possível do técnico e aparecer entre os relacionados", afirmou, antes de continuar.

“Dinheiro é secundário. Venho pra jogar e ser feliz. Quero me sentir importante. Isso não depende só de mim, tem que perguntar para os dirigentes", encerrou.

Em seu retorno ao time do Morumbi, Calleri tem a companhia de um esquadrão argentino. Além de Crespo e sua comissão técnica, ele encontrou os compatriotas Martín Benítez e Emiliano Rigoni na capital paulista.