Notícias

Chefe da Ferrari elogia novo sistema híbrido da equipe e mira terceira colocação no mundial de construtores

Da Redação BandSports 13/10/2021 • 09:22 - Atualizado em 13/10/2021 • 10:14
Escuderia de Maranello briga com a McLaren pela terceira colocação entre construtores
Escuderia de Maranello briga com a McLaren pela terceira colocação entre construtores
Reprodução/Instagram Ferrari

A Ferrari aproveitou os GPs da Rússia e Turquia para adicionar um novo sistema híbrido nos carros de seus dois pilotos. A mudança apresentou resultados e a equipe terminou a corrida de Istambul com Charles Leclerc na quarta colocação e Carlos Sainz, que havia conquistado o pódio em Sochi, em oitavo após largar do fundo do grid

Para Mattia Binotto, chefe da escuderia de Maranello, a nova unidade de potência foi fundamental, principalmente, na qualificação de Leclerc. O monegasco encerrou o Q3 com o tempo de 1min23s265, apenas 0s061 mais rápido que Pierre Gasly, da AlphaTauri, que fez 1min23s326.

“Está nos dando uma pequena vantagem. Eu não quero quantificar isso no tempo de volta porque depende da pista. Mas, certamente está nos dando vantagem. Se olhar para a qualificação do Charles, ele foi o quarto tempo [mais rápido]. Se eu olhar atrás dele, estava tudo muito perto, e tenho certeza de que algumas posições seriam perdidas sem essa especificação. Não é apenas potência no motor de combustão interna, mas também recuperação de energia. É um pouco complexo”, revelou.

O dirigente ainda acrescentou que a estratégia foi influenciada pelo congelamento dos motores previsto a partir de 2022. 

“Quando introduzimos [o novo sistema híbrido] em Sochi, o primeiro objetivo era tentar aumentar nossa experiência na visão de 2022. É por isso que o introduzimos o mais rápido possível, assumindo alguns riscos também, mas é tudo uma avaliação de risco. Para nós, está claro que precisamos adicionar quilometragem e fazer nossa própria experiência antes de 2022, quando as unidades de potência serão congeladas. Essa foi a razão [ da mudança]”, seguiu.

A evolução do motor da Ferrari aconteceu em momento crucial para o campeonato. A McLaren, sua principal rival no ano, chegou a fazer uma dobradinha com Daniel Ricciardo e Lando Norris no GP da Monza, mas a diferença entre as equipes já voltou a diminuir com a melhora da equipe comandada por Binotto. No momento, a escuderia de Maranello ocupa a quarta colocação entre construtores com 232,5 pontos, 7,5 a menos que os britânicos, que têm 240. 

Com a melhora de desempenho, Binotto deixou de pensar apenas no progresso da equipe para 2022 e voltou a acreditar que a terceira colocação do campeonato de construtores precisa ser o objetivo da Ferrari em 2021.

“É um alvo que já comunicamos à equipe [terceira colocação do mundial]. Acho que todos concordam com isso. Então seria ótimo, pelo menos esse é nosso objetivo”, encerrou.

Em ascensão dentro das pistas, a Ferrari volta à ação no Grande Prêmio dos Estados Unidos de Fórmula 1. Entre os dias 22 e 24 de outubro, o Bandsports exibe ao vivo os treinos livres e classificatório da etapa norte-americana. A Band mostra a corrida.