Notícias

Paralimpíada: com destaque para atletismo e natação, brasileiros conquistam cinco ouros no terceiro dia

Da Redação BandSports 27/08/2021 • 09:34 - Atualizado em 27/08/2021 • 10:08
Corredor paraibano conquistou o ouro nos 100m rasos
Corredor paraibano conquistou o ouro nos 100m rasos
Reprodução/Twitter Time Brasil

As medalhas brasileiras não param de aumentar em Tóquio. No terceiro dia de competições, nesta quinta-feira, 27, o Time Brasil contou com shows no atletismo e natação, além da estreia do porta-bandeira Petrúcio Ferreira.

Com as grandes atuações em solo japonês, a equipe verde e amarela ocupa, momentaneamente, a sexta colocação do quadro de medalhas. Das 17 conquistas, o país soma seis ouros, quatro pratas e sete bronzes. 

Petrúcio Ferreira – ouro (atletismo – 100m T47)

No Estádio Olímpico de Tóquio, o paratleta mais rápido do mundo adicionou a segunda medalha dourada de sua coleção. Com direito a novo recorde paralímpico, o paraibano cravou 10s53 para vencer a classe T47, destinada a atletas com deficiências nos membros superiores, dos 100m rasos. Ele já havia vencido a prova na Rio-2016.

Petrúcio foi seguido pelo polonês Michal Derus, que fez 10s61. O brasileiro Washington Junior completou o pódio.

Wallace Santos – ouro (atletismo – arremesso de peso, classe F55)

Com direito a novo recorde mundial, Santos arremessou na distância de 12,63m e conquistou o ouro na classe F55, para atletas cadeirantes. O brasileiro conseguiu ficar 16 centímetros à frente do antigo recorde, que pertencia ao búlgaro Ruzhdi Ruzhdi, com 12,47m.

Ruzhdi, que esteve na disputa, ficou com a prata. O polonês Lech Stoltman conquistou o bronze.

Yeltsin Jacques – ouro (atletismo – 5000m T11)

Em uma prova com emoção até os últimos instantes, Jacques liderou boa parte do percurso, mas perdeu a posição no começo da última volta. Com o ouro parecendo perdido, o sul-mato-grossense recuperou a posição e venceu a classe 5000m, destinada a atletas com deficiência visual. Ele completou o trajeto em 15min13s62.

O pódio foi completado, respectivamente, pelos japoneses Kenya Karawasa, que marcou 15min18s12, e  Shynia Wada, com 15min21s03.

Silvânia Costa – ouro (atletismo – salto em distância T11)

Medalha de ouro na Rio-2016, Silvânia confirmou o favoritismo e conquistou o bicampeonato da classe T11, destinada a atletas com deficiência visual, do salto em distância.

A mineira garantiu a vitória ao saltar 5m em sua quinta e penúltima tentativa. Com 4,91m, a prata ficou com a uzbeque Asila Mirzayorova. A ucraniana Yuliia Pavlenko registrou 4,86m e completou o pódio.

Washington Junior – bronze (atletismo – 100m T47)

Companheiro de prova de Petrúcio, Junior completou o percurso com o tempo de 10s68. A categoria também contou com um terceiro brasileiro: Lucas Lima registrou 11s14 e terminou na quinta colocação.

João Victor Teixeira – bronze (atletismo – arremesso de peso, classe F37)

Em prova que também contou com o conterrâneo Emanoel de Oliveira, que terminou em sétimo, João Victor arremessou 14,45m em sua quinta tentativa, e ficou com a terceira colocação da classe F37, 

O russo Albert Khinchagov lançou 15,78m e conquistou o ouro. A prata ficou com o tunisiano Ahmed Bem Moslah, com 14,50m.

Wendel Belarmino – ouro (natação – 50m livre, classe S11)

Estreante nos Jogos, Belarmino precisou de 26s03 para se sagrar campeão da classe S11, destinada a atletas com deficiência visual, dos 50m livre da natação. 

O chinês Dongdong Hua bateu em 26s18 para levar a prata para casa. O bronze ficou com o lituano Edgaras Matakas, que fez o tempo de 26s38.

Gabriel Bandeira – prata (natação – 200m livre, classe S14)

Já com o ouro dos 100m borboleta na bagagem, Bandeira voltou à piscina do Centro Aquático de Tóquio e conquistou o segundo lugar dos 200m livre da classe S14, para atletas com deficiência intelectual. Bill, como é conhecido, precisou de 1min52s74, índice abaixo do antigo recorde mundial de 1min52s90, para completar a prova. 

O ouro ficou com o britânico Reece Dunn, que fez 1min52s40. O russo Viacheslav Emeliantsev bateu em 1min55s58 para assegurar o bronze.

Maria Carolina Santiago – bronze (natação – 100m costas, classe S12)

Primeira medalhista individual feminina do Brasil nesta edição paralímpica, a pernambucana Maria Carolina Santiago marcou 1min09s18 para ficar com a terceira colocação dos 100m costas da classe S12, para pessoas com baixa visão.

A britânica Hannah Russel fez o tempo de 1min8s44 e se tornou a nova campeã da prova. À frente da brasileira, a russa Daria Pikalova levou a prata com 1min8s76.

Além dos esportes medalhistas, brasileiros também entraram em ação no judô, vôlei, tênis, goalball, tênis de mesa, hipismo, esgrima e remo. 

  • petrúcio ferreira
  • natação
  • atletismo
  • jogos paralímpicos
  • app
  • tóquio