Notícias

Daniel Dias e Rodolpho Riskalla brilham e Brasil fatura mais 4 pódios na Paralimpíada de Tóquio

Da Redação Bandsports 26/08/2021 • 10:03 - Atualizado em 28/08/2021 • 07:15
Rodolpho Riskalla fez história ao conquistar a prata no adestramento
Rodolpho Riskalla fez história ao conquistar a prata no adestramento
Divulgação/CPB/Wander Roberto

O Brasil continuou brilhando no segundo dia da Paralimpíada de Tóquio. Com quatro pódios, esta quinta-feira, 26, teve como principais destaques a prata inédita no hipismo e mais um recorde da lenda da natação Daniel Dias, que chegou a 27 medalhas paralímpicas.

No momento, o País ocupa a décima posição geral no quadro de medalhas com oito no total, sendo um ouro, três pratas e quatro bronzes. Veja abaixo como foram as conquistas desta quinta:

Rodolpho Riskalla – prata (adestramento, classe 4)
Ao som de Aquarela do Brasil, o cavaleiro da classe 4, que reúne atletas com comprometimento moderado dos quatro membros, fez uma apresentação bastante segura com sua montaria Don Henrico. Com aproveitamento de 74,659%, o conjunto conquistou a medalha de prata inédita, melhor resultado do Brasil, que somava quatro bronzes na modalidade, conquistados em Pequim-2008 e na Rio-2016. A holandesa Sanne Voets, montando Demantur, ficou com o ouro e se sagrou bicampeã paralímpica com 76,585%. O bronze ficou com a belga Manon Clayes e seu cavalo, San Dior, que tiveram aproveitamento de 72,853%.

Jovane Guissone – prata (esgrima em cadeira de rodas, classe B)
Campeão em Londres-2012, Jovane Guissone chegou a Tóquio com grande expectativa de repetir o ouro após ótimos resultados em Copas do Mundo e o segundo lugar no ranking. O esgrimista brasileiro, no entanto, teve um rival à altura e ficou com prata ao ser derrotado pelo russo Alexander Kuzyokov por 15 a 8 na final.

Daniel Dias – bronze (natação 100m livre, classe S5)
Com uma recuperação impressionante nos metros finais da prova, Daniel Dias mostrou mais uma vez por que é uma lenda viva da natação e bateu em terceiro lugar nos 100m livre da classe S5, para atletas com deficiências físicas e/ou má formação congênita. No Centro Aquático de Tóquio, o nadador fez a virada dos 50m em quinto lugar, mas aumentou o seu ritmo e fechou com o tempo 1min10s80, conquistando o bronze, sua 26ª medalha paralímpica. O italiano Francesco Bocciardo marcou 1min09s56 e ficou com o ouro, a prata foi para o chinês Lichao Wang, com 1min10s45.

Revezamento misto – bronze (natação 4x50m livre, até 20 pontos)
Depois de subir ao seu 26º pódio paralímpico nesta quinta, Daniel Dias voltou à piscina do Centro Aquático de Tóquio para conquistar a sua 27ª medalha ao lado de Patrícia Santos (S4), Joana Neves (S5) e Talisson Glock (S6) no revezamento misto, que soma a pontuação dos quatro nadadores da equipe não podendo ultrapassar o limite de 20 pontos. Com o tempo de 2min24s82, a equipe brasileira ganhou o bronze, atrás da campeã China, que marcou 2min15s49, e da Itália, que registrou 2min21s45 para ficar com a prata.

  • olimpíadas
  • paralimpíada
  • tóquio2020
  • jogos paralímpicos
  • app