Notícias

Dia em Tóquio tem 4 medalhas do Brasil, gritos de suíças e Biles; veja resumo

Da Redação BandSports 03/08/2021 • 12:47 - Atualizado em 03/08/2021 • 12:50
Martine Grael e Kahena Kunze: bicampeãs olímpicas na vela
Martine Grael e Kahena Kunze: bicampeãs olímpicas na vela
Jonne Roriz/COB

O Brasil teve seu dia mais glorioso até aqui nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Entre a noite desta segunda-feira, 2, e a manhã desta terça, 3, pelo horário brasileiro, o país conquistou quatro medalhas em três modalidades diferentes.

O ouro veio com Martine Grael e Kahena Kunze na classe 49er FX da vela. O atletismo rendeu dois bronzes (com Alison dos Santos nos 400m com barreiras e com Thiago Braz no salto com vara). Por fim, Abner Teixeira perdeu na semifinal, mas ficou em terceiro no boxe peso pesado.

Confira abaixo os destaques de um dia olímpico que ainda teve vitórias do Brasil no futebol e no vôlei masculino, uma derrota dolorida e barulhenta no vôlei de praia, além de Simone Biles voltando a sorrir na ginástica e o Dream Team do basquete norte-americano a caminho do ouro.  

Martine e Kahena faturam bicampeonato

Cinco anos depois do inédito ouro na Rio-2016, Martine Grael e Kahena Kunze voltaram a brilhar e conquistaram o bicampeonato na classe 49er FX na ilha de Enoshima. As brasileiras fizeram uma campanha sólida e chegaram à Medal Race dividindo a liderança com as holandesas Bekkering e Duetz com 70 pontos perdidos. Na regata decisiva, Martine e Kahena controlaram bem a disputa e garantiram a conquista com um terceiro lugar.

“Tem, sim, um sabor especial. Foi duro essa espera. A expectativa ficou muito grande. Foi muito difícil trilhar o rumo até aqui. A classe precisava inventar os campeonatos, porque foi tudo cancelado (pela pandemia). Cada hora mudava a fronteira. Todo mundo teve que se reinventar e se juntar um pouco. Foi muito desafiador. Incrível ganhar essa medalha nessa olimpíada tão emblemática”, destacou Martine.

Alison é bronze em prova com recordes

Alison dos Santos cravou 46s72, novo recorde sul-americano, para ficar em terceiro nos 400m com barreiras e ser o primeiro medalhista olímpico brasileiro em prova individual de pista no atletismo desde 1988. Com novo recorde mundial, o norueguês Karsten Warholm registrou 45s94 e foi ouro. O norte-americano Rai Benjamin levou a prata com 46s17. “Falei que seria um show. Foi a prova mais forte da história, e tem um brasileiro carregando o nome da nossa nação”, emocionou-se o “Piu”, como é conhecido.

Thiago Braz brilha com mais um pódio

E tiveram mais alegrias no atletismo ao Brasil, com Thiago Braz pela segunda vez consecutiva no pódio dos Jogos Olímpicos. Campeão do salto com vara na Rio-2016, o brasileiro faturou a medalha de bronze em Tóquio depois de um ciclo olímpico irregular. Justamente na decisão, ele fez a melhor marca pessoal do ano ao saltar 5.87m. “Bronze com gosto de ouro”, vibrou. 

Já Darlan Romani garantiu sua classificação à final do arremesso de peso. Na segunda tentativa, o brasileiro alcançou a marca de 21.31 metros, 11 centímetros a mais do que o necessário. A final é na noite de quarta-feira. 

Boxe leva um bronze e já garante outra medalha

Abner Teixeira conquistou a medalha de bronze na categoria peso pesado (até 91kg) dos Jogos Olímpicos de Tóquio após ser derrotado pelo cubano Julio La Cruz na semifinal e ficou fora da briga pelo ouro.

Beatriz Ferreira dominou a uzbeque Raykhona Kodirova, venceu sua luta das quartas de final da categoria até 60kg e também já garantiu uma medalha: se perder na semi para a finlandesa Mira Potkonen, será de bronze. Se ganhar, será prata ou ouro. 

A um passo do bi no futebol

Depois de empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, o Brasil derrotou o México por 4 a 1 nos pênaltis e garantiu vaga na decisão do futebol masculino. O goleiro Santos pegou cobrança de Aguirre e foi um dos heróis do triunfo. O adversário na decisão de sábado, às 8h30 (de Brasília), será a Espanha, que bateu o Japão na prorrogação (1 a 0). 

Vôlei masculino também avança

A seleção brasileira venceu o Japão por 3 sets a 0, com parciais de 25/20, 25/22 e 25/20, e está na semifinal. Os atuais campeões olímpicos reencontram a Rússia, responsável pela única derrota do time de Renan Dal Zotto até o momento em Tóquio. Do outro lado da chave, Argentina e França disputam a vaga na final. 

No grito? Suíça tira Brasil na praia

Ana Patricia e Rebeca foram eliminadas na quartas de final do vôlei de praia pelas suíças Anouk Verge-Depre e Joana Heidrich por 2 sets a 1 (21/19, 18/21, 15/12) e conseguiram unir a torcida brasileira no “ranço” contra as adversárias, que, para muitos, abusaram dos gritos nas comemorações dos pontos durante a partida. 

Isaquias sem medalha

Foi por pouco, mas Isaquias Queiroz e Jacky Godmann não subiram ao pódio da categoria C2 1.000m da canoagem. A dupla brasileira registrou o tempo de 3min27s603 e ficou com a quarta posição da final. Maior medalhista brasileiro na Rio-2016, Isaquias agora foca na disputa do individual na C-1000. 

Biles volta com bronze na trave; Flavinha é sétima

Depois de abrir mão das finais do individual geral, salto, barras assimétricas e solo para cuidar da saúde mental, a estrela da ginástica norte-americana Simone Biles encerrou a participação na Olimpíada com bronze na trave. A China ficou com ouro e prata.

Representante brasileira na final, Flávia Saraiva terminou na sétima posição. Ela sofreu um grande desequilíbrio logo no início da apresentação e ficou sem chances de pódio

“Dream Team” na semi do basquete

Os Estados Unidos chegaram a estar perdendo por dez pontos no segundo quarto, mas viraram sobre a Espanha dos irmãos Gasol (95 a 81) e estão na semifinal do basquete masculino. Kevin Durant, com 29 pontos, foi um dos destaques da equipe que agora enfrenta a Austrália na próxima fase. 

Tóquio no Bandsports

O Bandsports faz cobertura completa dos Jogos de Tóquio-2020, 24 horas por dia. Fique de olho e não perca as emoções da Olimpíada!

  • tóquio-2020
  • app
  • olimpíadas
  • bandsports
  • brasil