Notícias

Thiem: “Djokovic não vai desperdiçar a chance de completar o Grand Slam”

Da Redação Bandsports 24/08/2021 • 04:15 - Atualizado em 24/08/2021 • 09:54
Enquanto Djokovic pode encerrar o ano de forma espetacular, Thiem teve uma temporada complicada
Enquanto Djokovic pode encerrar o ano de forma espetacular, Thiem teve uma temporada complicada
Instagram/Australian Open

Atual campeão do US Open, Dominic Thiem não vai poder disputar o último Major do ano e defender o seu título por causa de uma contusão no punho, o austríaco, no entanto, acredita que Novak Djokovic não vai desperdiçar a chance de completar o Grand Slam nesta temporada.

Em 2021, o sérvio número 1 do mundo já venceu o Australian Open, Roland Garros e Wimbledon, faltando apenas o Aberto dos Estados Unidos para atingir o feito de conquistar os quatro torneios mais importantes do circuito de tênis na mesma temporada, algo alcançado por último pela lenda australiana Rod Laver, no longínquo ano de 1969.  

“Acho que Djokovic vai conseguir”, afirmou Thiem. “Por ser um Grand Slam, ele tem uma incrível vontade, e porque é a oportunidade do século de completar o Grand Slam. Acredito que ele não vai perder essa chance”, acrescentou.

Além de conquistar o Grand Slam completo da temporada, se for campeão em Nova York, Djoko ainda vai ultrapassar Rafael Nadal e Roger Federer em número de Majors. Atualmente, os integrantes do Big 3 estão empatados em 20 títulos de Slams.

Apesar disso, o número 1 do mundo chega aos EUA sem ter jogado sequer um torneio preparatório depois da decepção nos Jogos Olímpicos de Tóquio, quando perdeu a semifinal para Alexander Zverev e a disputa pelo bronze para Pablo Carreño Busta.

Enquanto a temporada de 2021 de Djokovic pode terminar de maneira espetacular, Thiem vem passando por um ano difícil, tendo de lidar com questões de saúde mental e física. Além de tirá-lo da Olimpíada e do US Open, a lesão no punho também não vai permitir que o número 6 do ranking defenda seu país na Copa Davis, e jogando em casa, na cidade de Innsbruck, na Áustria, sede do Grupo F, que conta ainda com Sérvia e Alemanha.

“[Perder] tudo isso dói. Mas a Copa Davis é o que mais machuca, pode ser, talvez, a única vez de uma grande Copa Davis em casa”, afirmou o austríaco. “Claro que não ter disputado Viena foi difícil, mas vou jogar este torneio mais algumas vezes. Mas qual a chance de uma Davis em casa contra Sérvia e Alemanha, talvez nunca”, encerrou Thiem.