Notícias

Djokovic poderá jogar Roland Garros sem comprovante de vacinação

Da Redação Bandsports 09/01/2022 • 09:42 - Atualizado em 17/01/2022 • 12:49
Sérvio é o atual campeão do Grand Slam francês
Sérvio é o atual campeão do Grand Slam francês
Instagram/Novak Djokovic

Em meio à polêmica envolvendo a participação de Novak Djokovic no Australian Open, a ministra dos esportes da França, Roxana Maracineanu, informou que o número 1 do mundo poderá disputar Roland Garros, que acontece entre os dias 22 de maio e 5 de junho, independentemente de seu status vacinal.

Djoko viajou para Melbourne para a disputa do primeiro Grand Slam do ano após receber uma isenção médica para disputar o torneio. Entretanto, o tenista teve seu visto negado no desembarque e agora aguarda a audiência nesta segunda-feira, 10, que definirá sua situação no país.

Para evitar que o mesmo aconteça, as autoridades francesas já trabalham com protocolos que permitam a entrada de pessoas não vacinadas contra a covid-19 no país. Mas, para que possa disputar o Grand Slam mais charmoso do circuito, Djoko terá que cumprir uma quarentena obrigatória ao chegar em solo francês.

“Ele [Djokovic] não seguiria os mesmos arranjos organizacionais dos que já estão vacinados. Mesmo assim, ele poderá competir [em Roland Garros] porque os protocolos, a bolha de saúde, permitem isso”, afirmou Maracineanu, em entrevista à rádio FranceInfo.

Na contramão de Roxana, o presidente da França, Emmanuel Macron, destacou que pretende aumentar o número de vacinados no país e dificultar a vida das pessoas que optem por não o fazer: “Quanto aos não vacinados, eu realmente quero chatear eles. E vamos continuar fazendo isso, até o fim.

“Essa é a estratégia. Limitar, tanto quanto possível, seu acesso às atividades da vida social. Quando a minha liberdade ameaça a dos outros, torno-me uma pessoa irresponsável. Uma pessoa irresponsável não é um cidadão”, concluiu Macron.