Notícias

Djokovic tem visto cancelado pela segunda vez e pode ser deportado da Austrália

Da Redação BandSports 14/01/2022 • 09:46 - Atualizado em 14/01/2022 • 10:34
Sérvio pode ser deportado do país nos próximos dias
Sérvio pode ser deportado do país nos próximos dias
Instagram/Novak Djokovic

Novak Djokovic teve seu visto australiano cancelado pela segunda vez e corre um grande risco de não participar do Australian Open. A decisão foi tomada pelo ministro de Imigração da Austrália, Alex Hawke, nesta sexta-feira, 14, que alegou motivos de “saúde e ordem”.

“Hoje eu exerci meu poder sob a seção 133C (3) da Lei de Migração para cancelar o visto do Sr. Novak Djokovic por motivos de saúde e ordem, com base no interesse público”, comunicou Hawke. 

Os advogados do tenista sérvio estão preparando um recurso e ele ainda não será deportado do país até que a decisão final seja tomada no domingo, 16. Se o cancelamento do visto for confirmado, Djoko pode ficar proibido de entrar na Austrália pelos próximos três anos.

Já treinando em Melbourne, o número 1 do mundo é esperado para uma entrevista com a imigração local no sábado, 15, e vai participar de reunião com seus advogados. Segundo a BBC, ele ficará novamente detido pela imigração e estará supervisionado por oficiais da Força de Fronteira Australiana nos compromissos com seus representantes legais.

Sem a presença de Djokovic confirmada, o Australian Open começa nesta segunda-feira, 17. Líder do ranking da ATP, o sérvio é o cabeça de chave número 1 do torneio e tem confronto marcado contra o compatriota Miomir Kecmanovic logo no primeiro dia do Grand Slam, do qual ele é o atual campeão e dono de nove títulos.

Entenda o caso
Sem esclarecer seu status de vacinação contra a covid-19, Djokovic embarcou para a disputa do Australian Open com uma isenção médica para disputar o torneio, que exige a imunização de seus participantes. 

Apesar da permissão especial, o sérvio foi barrado no desembarque no país por não apresentar evidências suficientes para obter a isenção médica, teve seu visto cancelado e precisou passar por uma audiência na segunda-feira, 10. Enquanto aguardava o desenrolar do caso, o tenista foi levado e ficou isolado no Park Hotel, em Carlton. 

A primeira anulação do visto, porém, foi revogada na segunda-feira, 10, e Nole chegou até a treinar em solo australiano. 

Em meio às polêmicas, ele usou as redes sociais na quarta-feira, 12, e admitiu o preenchimento incorreto de seu formulário de entrada na Austrália e assumiu ter participado de uma entrevista após testar positivo para a covid-19, em dezembro, quando estava na Sérvia.

Nesta sexta, o ministro da Imigração da Austrália, Alex Hawke, cancelou o visto do tenista pela segunda vez, alegando motivos de “saúde e ordem”.