Notícias

Ecclestone acredita em aposentadoria de Hamilton: “Acho que ele não vai voltar”

Da Redação BandSports 24/12/2021 • 10:22 - Atualizado em 24/12/2021 • 13:42
Britânico virou alvo de rumores sobre uma possível aposentadoria antecipada da F1
Britânico virou alvo de rumores sobre uma possível aposentadoria antecipada da F1
Reprodução/Instagram Mercedes

Rumores sobre uma possível aposentadoria antecipada de Lewis Hamilton tomaram conta do mundo do automobilismo nos últimos dias. Mesmo com pilotos e comentaristas acreditando na permanência do heptacampeão na Fórmula 1, Bernie Ecclestone foi na direção contrária da maioria e se mostrou pouco confiante quanto à continuidade do britânico na principal categoria do automobilismo mundial.

Para o ex-todo-poderoso da F1, a decepção com a polêmica derrota para Max Verstappen, da Red Bull, aliada ao patamar alcançado na carreira podem ser cruciais para o piloto decidir seguir por outros rumos. 

“Não sei [o que está acontecendo com Hamilton]. Mas acho que ele não vai voltar. A decepção dele é muito grande. E você pode entender isso de alguma forma. Com sete títulos mundiais, como [Michael] Schumacher, agora seria a hora de realizar seu sonho e se tornar um empresário da moda”, disse em entrevista ao site suíço Blick.

Iniciados após uma entrevista em que Toto Wolff, chefe da Mercedes, disse que Hamilton estava “desiludido”, os rumores sobre a retirada do britânico das pistas foram reforçados por seu silêncio e, em parte, sumiço. Desde o término do GP de Abu Dhabi, ele não fez nenhuma postagem em suas redes sociais – em que sempre é muito ativo – e chegou até mesmo a zerar a lista de pessoas que segue no Instagram

Fora das redes a situação também não é das mais animadoras para os fãs do heptacampeão. As duas únicas aparições públicas aconteceram na semana passada, quando ele compareceu à cerimônia em que foi condecorado Cavaleiro da Ordem do Império Britânico pelo príncipe Charles e à festa da Mercedes pelo oitavo título consecutivo do mundial de construtores, que também marcou a despedida de Valtteri Bottas da equipe. Hamilton também não foi à premiação da FIA em Paris, assim como Wolff.

Junto a todos esses fatores, Ecclestone acrescentou uma conversa que teve com Anthony Hamilton, pai do piloto.

“Alguns dias atrás conversei com seu pai. Imediatamente percebi que ele não respondia perguntas sobre o futuro do filho. Então, só falamos de negócios”, seguiu o ex-dirigente de 91 anos, conhecido por não ser grande fã do heptacampeão. 

Mesmo que esteja errado e Hamilton continue na F1 no ano que vem, Ecclestone ainda vê o cenário pouco favorável para ele. O dirigente destacou que o britânico só teria a perder com as mudanças do regulamento que se iniciam em 2022.

“Lewis só teria a perder em 2022. Quem sabe como os carros estarão no grid. Com George Russell, ele teria um companheiro ambicioso, de quem não estou tão convencido quanto muitos especialistas. E não vamos esquecer de Verstappen. Com ele, Hamilton finalmente encontrou um oponente igual depois de muitos anos”, encerrou.