Notícias

Estrela da nova geração, Tsitsipas chega à final embalado por passeios e batalha na semifinal

Da Redação Bandsports 12/06/2021 • 10:35 - Atualizado em 12/06/2021 • 12:12
Grego de 22 anos vai disputar a final de um Grand Slam pela 1ª vez na carreira
Grego de 22 anos vai disputar a final de um Grand Slam pela 1ª vez na carreira
Reprodução/Instagram Roland Garros/FFT/Nicolas Gouhier

A decisão do Grand Slam mais charmoso do circuito de tênis vai contar com um encontro de gerações neste domingo, 13. Sem a presença de Rafael Nadal, maior campeão do saibro parisiense, Stefanos Tsitsipas terá a responsabilidade de derrotar Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, e entrar para a história do esporte. Para se credenciar ao posto de finalista, o número 5 do ranking da ATP precisou vencer e convencer os mais diferentes adversários em Roland Garros. Veja como foi a trajetória do tenista de 22 anos até a decisão.

Preparação para Roland Garros

Antes mesmo de pensar na vaga para o encontro derradeiro, ele já estava fazendo uma preparação digna de campeão na temporada de saibro. Nos últimos meses, o promissor grego levou para a casa os títulos do Masters 1000 de Monte Carlo e do ATP 250 de Lyon. Como a vida do atleta não é feita apenas de vitórias, o ano de Tsitsipas na terra batida ainda contou com uma trágica derrota nas quartas de final do Masters 1000 de Roma, justo para seu próximo adversário: Djokovic.

Primeira rodada (30/05): Stefanos Tsitsipas x Jérémy Chardy
Placar: 3 x 0 (7/6, 6/3 e 6/1)

Na opinião de alguns esportistas, a parte mais difícil de um grande campeonato é suportar a pressão da estreia. Para o número 5 do ranking da ATP, no entanto, isso parece ser apenas papo-furado. Contra o anfitrião, o finalista viveu altos e baixos na primeira parcial, mas dominou o jogo a partir da segunda e avançou à rodada seguinte com vitória em sets diretos.

Segunda rodada (02/06): Stefanos Tsitsipas x Pedro Martínez
Placar: 3 x 0 (6/3, 6/4 e 6/3)

Sem dar chances para o azar, o destro precisou de 2h27 dentro da quadra Suzanne Lenglen para despachar o número 103 do ranking da ATP em sets diretos. Apesar do dia ruim no saque, com quatro quebras, a vitória aconteceu com parciais de 6/3, 6/4 e 6/3.

Após a partida, o grego demonstrou empolgação com a possibilidade de título e fez uma promessa para o próximo ano: “Se eu ganhar Roland Garros, eu virei aqui ano que vem falando francês fluentemente. É um compromisso”.

Terceira rodada (04/06): Stefanos Tsitsipas x John Isner
Placar: 3 x 1 (5/7, 6/3, 7/6 (3) e 6/1)

Na quadra Philippe Chatrier, o grego sentiu, pela primeira vez na campanha, o sabor da derrota em uma parcial, e foi logo na primeira contra o norte-americano. Com frieza e tranquilidade, o finalista não se deixou abalar e voltou focado para conquistar a virada nos sets finais. Apesar do terceiro ser decidido no tie-break, os outros dois contaram com domínio total do vencedor.

Oitavas de final (06/06): Stefanos Tsitsipas x Pablo Carreño Busta
Placar: 3 x 0 (6/3, 6/2 e 7/5)

Em 2h07 dentro de quadra, Tsitsipasmostrou que não seria um alvo fácil na terra batida parisiense. Com tênis de mais alto nível, ele atropelou o espanhol nos dois primeiros sets, com parciais de 6/3 e 6/2. Já com o desgaste físico, o terceiro foi um pouco mais complicado, mas nada que atrapalhasse os planos do número 5 do ranking mundial.

Quartas de final (08/06): Stefanos Tsitsipas x Daniil Medvedev
Placar: 3 x 0 (6/3, 7/6 (3) e 7/5)

Um dos duelos mais aguardados deste lado da chave colocou frente a frente dois velhos conhecidos. Antes da vitória em Roland Garros, o grego havia encontrado Medvedev em outras sete oportunidades, e somava apenas uma vitória. A situação até parecia intimidadora, mas Stefanos usou o microfone para mostrar que não se sentia em perigo na ocasião.

“Se eu estiver jogando bem, não preciso pensar em quem estou enfrentando. Eu só preciso fazer meu jogo e deixar o resto ser testemunhado”, falou.

Dito e feito! Intenso desde o primeiro minuto, ele precisou de 2h19 para dar um verdadeiro seminário de tênis na Philippe Chatrier. O ponto da vitória contou com saque bisonho por baixo do número 2 do mundo. Mesmo sem entender muito bem a estratégia do rival, Tsitsipas estava pelo segundo ano consecutivo classificado à semifinal do torneio francês.

Semifinal (11/06): Stefanos Tsitsipas x Alexander Zverev
Placar: 3 x 2 (6/3, 6/3, 4/6, 4/6 e 6/3)

Classificação para a semifinal está de bom tamanho? Não para Stefanos Tsitsipas. Na preparação para enfrentar o rival alemão, o grego quis deixar claro que estava trabalhando firme para conquistar o título.

“Me sinto orgulhoso por mais esta semifinal. É sinal de que meu trabalho está dando resultado. Mas meu ego diz que trabalho e tenho capacidade para conseguir mais. É por isso que vou lutar”, afirmou.

Para conseguir a vaga na final, entretanto, o número 5 do mundo quase se complicou. Em uma batalha de 3h37, ele abriu vantagem nos dois primeiros sets, com duplo 6/3, mas deixou o alemão crescer no jogo e tomou o empate.

No início da quinta e decisiva parcial, aconteceu o momento em que o vencedor voltou para o jogo. Logo no primeiro game, o grego salvou três break points e ganhou a torcida na quadra Philippe Chatrier. No tempo de euforia, ele abriu 4 games a 1 e administrou a vantagem para conquistar a tão sonhada classificação à decisão de um Grand Slam.

  • stefanos tsitsipas
  • roland garros
  • tênis
  • esportes
  • app