Notícias

F1: Alonso quer carros mais parecidos para que “qualquer piloto possa sonhar com o pódio”

Da Redação BandSports 20/09/2021 • 10:53 - Atualizado em 20/09/2021 • 11:55
"Se tiver um carro competitivo, você estará no pódio em 95% das corridas", falou o espanhol
"Se tiver um carro competitivo, você estará no pódio em 95% das corridas", falou o espanhol
Reprodução/Instagram Alonso

Bicampeão mundial e um dos pilotos mais experientes e talentosos do grid da Fórmula 1, Fernando Alonso acredita que a principal categoria do automobilismo terá de enfrentar mais uma mudança significativa nos próximos anos: desta vez, no nível de competitividade entre os carros.

Aos 40 anos, o ícone espanhol vem brilhando ao volante da Alpine em 2021, no entanto, segue sem sentir o gosto do pódio na temporada que marca seu retorno à F1. Para ele, a equipe em que um piloto compete e o potencial do carro são cruciais para que os melhores resultados apareçam.

“O que precisamos abordar, e provavelmente o próximo ano seja o primeiro passo, é a diferença entre os carros. No momento, se você tiver a sorte de estar em um carro competitivo, sua única luta será contra seu companheiro, não com outra equipe. E você vai terminar no pódio em 95% das corridas. Não importa se você tem 19 anos e está estreando ou se tem 45 e é o mais velho, você estará 95% das vezes no pódio”, afirmou o espanhol.

Figura constante na briga por pódios e vitória nas corridas ao longo dos anos, Alonso agora vive a sensação de lutar por pontos pela escuderia francesa. Com a experiência de ter conhecido as diferentes visões do grid, ele acredita que a categoria precisa debater o assunto em conjunto.

"Talvez isso seja algo que precisamos lidar como categoria. Precisamos ser um pouco mais abertos para que qualquer um possa sonhar com o pódio. No momento, isso não é possível", continuou.

Apesar de saber que não tem as condições ideais para voltar a vencer como em seus tempos de glória, o bicampeão reconhece que as dificuldades auxiliam na evolução dos pilotos.

“Você aprende diversas coisas ao longo da jornada, sobre como lidar com diferentes situações da Fórmula 1. Quando entra no esporte, você vê que há algumas diferenças em comparação com qualquer categoria júnior. Por três ou quatro anos, você continua aprendendo sobre o sistema e como tudo funciona. Depois disso começa o próximo passo, que é como tirar o máximo de seu carro. Não é mais pilotar no limite, como fazemos no kart e categorias de base. Aqui você precisa enfrentar diferentes problemas e cenários nas corridas”, afirmou.

“Eventualmente, você alcança um nível que melhora a cada corrida e toda vez que entra no carro, porque você aprende mais sobre ele. Mas, no próximo ano, tudo recomeça e você precisa aprender coisas novas. Então você constantemente evolui como piloto”, encerrou. 

Na décima colocação da classificação do mundial de pilotos, com 50 pontos, Alonso segue em busca de seu primeiro pódio na temporada. A partir de sexta-feira, 24, o Bandsports exibe ao vivo os treinos livres e classificatório para o GP da Rússia. A Band mostra a corrida, no domingo, 26.