Notícias

F1: “Espero muito que Lewis continue correndo", diz Toto Wolff

Da Redação BandSports 16/12/2021 • 12:16 - Atualizado em 17/12/2021 • 12:30
“Lewis e eu estamos desiludidos no momento", falou o dirigente
“Lewis e eu estamos desiludidos no momento", falou o dirigente
Reprodução/Mercedes

O polêmico final da batalha contra Max Verstappen, da Red Bull, ainda está sendo assimilado por Lewis Hamilton. Chefe da Mercedes, Toto Wolff desabafou sobre o momento de “desilusão” que ele e o heptacampeão mundial estão passando e deixou no ar a sequência do piloto inglês na Fórmula 1.

“Espero muito que Lewis continue correndo, porque ele é o maior piloto de todos os tempos. Quando você olha para ele, do ponto de vista das últimas quatro corridas, ele dominou no domingo. Não havia dúvida de quem ganhou a corrida e merecia ganhar o mundial”, disse Toto ao jornal britânico The Independent.

Em Abu Dhabi, Hamilton liderava a prova com larga vantagem em relação ao rival e, consequentemente, estava com a mão no octacampeonato quando Nicholas Latifi, da Williams, bateu e obrigou a entrada do safety car a cinco voltas do fim da disputa. 

Nesse momento, a Red Bull optou por trocar os compostos do carro do holandês, que se aproximou de Hamilton depois que a direção de prova inverteu sua primeira ordem e permitiu que os retardatários que separavam os dois pilotos passassem pelo líder. A corrida foi reiniciada na última volta, o holandês, com pneus novos, ultrapassou o heptacampeão e recebeu a bandeirada quadriculada em primeiro para alcançar seu inédito título mundial.

Apesar de a escuderia alemã ter retirado o protesto que havia feito inicialmente contra o resultado da corrida no Circuito de Yas Marina, o dirigente acredita que a “justiça esportiva” foi quebrada na etapa final da temporada. 

“Lewis e eu estamos desiludidos no momento. Não desiludidos com o esporte, amamos o esporte com cada osso do nosso corpo e porque o cronômetro nunca mente. Mas, se quebrarmos esse princípio fundamental de justiça esportiva, então, de repente, o cronômetro não se torna mais relevante e estaremos expostos a decisões aleatórias”, lamentou o chefe.

Apesar do desabafo, Wolff pensa que o “coração de piloto” de Hamilton vai falar mais alto e ele seguirá fazendo história nas pistas. Para isso, no entanto, o britânico precisa superar a dor do último fim de semana de corrida.

“Então, vamos trabalhar nas próximas semanas e meses. Eu acho que, como piloto, seu coração vai falar: ‘Eu preciso continuar’, porque ele está no auge. Mas temos que superar a dor que foi causada no domingo. Ele é um homem com valores claros, é difícil entender o que aconteceu”, encerrou.

O descontentamento da dupla da Mercedes vai se refletir na cerimônia de premiação da FIA nesta quinta-feira, 16. Wolff e Hamilton não vão comparecer para o recebimento dos troféus do mundial de construtores e do vice-campeonato de pilotos. O diretor-técnico James Allison vai representar o time no evento.