Notícias

F1: Hamilton revela dificuldades e define carro da Mercedes como “uma diva monstruosa”

Da Redação BandSports 24/11/2021 • 10:07 - Atualizado em 24/11/2021 • 15:04
Britânico falou sobre as dificuldades que enfrentou com o W12 ao longo do ano
Britânico falou sobre as dificuldades que enfrentou com o W12 ao longo do ano
Reprodução/Instagram Mercedes

Lewis Hamilton parece finalmente ter se entendido com o atual carro da Mercedes em meio à reta final de sua batalha contra Max Verstappen, da Red Bull, pelo título mundial de Fórmula 1.

Em entrevista ao site The Race, o piloto britânico usou a expressão “diva monstruosa” para definir a potência do W12 e seus “caprichos”, e destacou a dificuldade para entrar em sintonia com a poderosa máquina tendo poucas sessões de treino.

"Tem sido o carro mais difícil de configurar. Toto [Wolff, chefe da Mercedes] disse que um de nossos carros era uma diva, mas este é uma diva monstruosa.  Além disso, estamos tendo menos tempo de treinos, assim fica mais difícil colocar o carro na ‘janela’ correta e, quando não fazemos isso, simplesmente limitamos o potencial”, afirmou o heptacampeão. 

Com o tempo de pista reduzido, Hamilton contou que, mesmo com atividades no simulador, a adaptação ao carro segue complicada.

“Eu fiz muitos testes de simulação, mas mesmo em dias de simulação, você tem que ser muito cuidadoso com os dados que está recebendo e as decisões que está tomando. É um passeio de montanha russa”, continuou.

Apesar das complicações, o entendimento do britânico com o carro foi visto de maneira óbvia no Brasil. Em Interlagos, Hamilton largou da décima colocação e ultrapassou todo o pelotão da frente para vencer a prova com tranquilidade. Além disso, ele precisou sair da última colocação na sprint qualifying após ser punido por uma infração na asa traseira e deu show para terminar em quinto.

“No Brasil consegui o carro exatamente como queria. E isso foi literalmente como acertar um prego. Mas talvez uma ou duas vezes tenhamos feito isso este ano. Eu diria que no Brasil talvez operamos de maneira ótima, mas na maioria das vezes não estamos nesse nível”, encerrou.

Enquanto segue tentando entender seu W12, o heptacampeão mundial segue na caça a Verstappen no mundial de pilotos. Ele tem 343,5 pontos na classificação, oito a menos que o holandês, que soma 351,5.

Com cobertura completa do Bandsports e da Band nas duas últimas etapas da temporada da F1, os pilotos voltam à ação no GP da Arábia Saudita, entre os dias 3 e 5 de dezembro. Abu Dhabi encerra a temporada na semana seguinte.