Notícias

F1: “O problema do carro da Mercedes é o conceito”, diz chefe da Red Bull

Da Redação BandSports 20/06/2022 • 16:39
Christian Horner mostrou descontentamento com as reclamações da escuderia alemã
Christian Horner mostrou descontentamento com as reclamações da escuderia alemã
Divulgação/Site F1.com

Christian Horner voltou a contestar as reclamações da Mercedes quanto ao porpoising na Fórmula 1. Antes do GP do Canadá, o chefe da Red Bull chegou até mesmo a participar de uma discussão com Toto Wolff, mandachuva da escuderia rival, e Mattia Binotto, da Ferrari, sobre a maneira com que a concorrente está tratando o tema. 

Após a etapa de Montreal, o dirigente da equipe austríaca apontou as dificuldades enfrentadas por Lewis Hamilton e George Russell como um erro na criação do W13, e não do regulamento. 

“O problema com a Mercedes é mais grave, ou pelo menos já foi antes [do GP do Canadá], do que qualquer outro carro. Isso certamente é culpa da equipe. Está sob o controle deles lidar com isso, se não está afetando os outros”, disse ao site Motorsport.

“Eu sei que outros pilotos têm reclamado. Nossos pilotos nunca reclamaram do porpoising. Eles disseram que em alguns circuitos a situação pode ser melhorada, talvez com um recapeamento em certos pontos. Mas não tivemos problemas com as quicadas. O problema é que o carro deles é muito rígido. Acho que o problema é o conceito, e não o regulamento”, seguiu.

Horner ainda demonstrou preocupação com a rapidez que a Mercedes se adaptou à diretiva técnica, que permitiu o uso de uma haste que possibilita deixar o carro mais estável mesmo estando próximo ao solo.

“Há um processo sobre a introdução dessas coisas. Acho que o que foi particularmente frustrante foi a segunda haste. Isso precisa ser discutido em um fórum técnico, e ficou parecendo muito focado em resolver o problema de uma única equipe, que foi a única a chegar no Canadá com isso, mesmo antes da diretiva técnico. Então pense sobre isso”, explicou o chefe da RBR.

Para Horner, as equipes terão seus problemas amenizados conforme forem desenvolvendo seus carros, assim não necessitando de mudanças no regulamento.

“Os carros ainda são novos, e acho que com as equipes os desenvolvendo, provavelmente veremos elas resolvendo essas questões. Você não pode simplesmente mudar o regulamento técnico no meio da temporada”, completou o dirigente. 

Com discussões de sobra nos bastidores, os pilotos da F1 voltam à ação no GP da Grã-Bretanha, entre os dias 1º e 3 de julho. Os treinos livres e classificatório contam com cobertura completa do Bandsports