Notícias

Goleadas, fim de tabu e semi “estratégica”: relembre a campanha do Palmeiras

Da Redação Bandsports 26/11/2021 • 15:02 - Atualizado em 27/11/2021 • 21:10
Dudu fez o gol que colocou o Palmeiras na decisão da Libertadores
Dudu fez o gol que colocou o Palmeiras na decisão da Libertadores
Cesar Greco/SE Palmeiras

A América do Sul é do Palmeiras mais uma vez. Neste sábado, 27, o Verdão bateu o Flamengo na prorrogação por 2 a 1, em Montevidéu, e conquistou o terceiro título da Libertadores, o segundo consecutivo.

A festa alviverde no Centenário coroou uma grande campanha dos comandados de Abel Ferreira. A trajetória teve goleadas na primeira fase, quebra de tabu contra arquirrival e grande duelo tático na semifinal. Confira abaixo como foi todo o caminho até o histórico título sobre o Flamengo.

Fase de grupos

Universitario (PER) 2 x 3 Palmeiras (21/04)

A caminhada do Verdão no Grupo A começou com drama no Peru. Diante do modesto Universitário, a equipe alviverde abriu 2 a 0 com gols de Danilo e Raphael Veiga, mas se complicou após expulsão de Alan Empereur e tomou o empate no segundo tempo em apenas três minutos. Mesmo com um a menos, os três pontos na estreia vieram na cabeçada certeira do zagueiro Renan aos 50 minutos.

Palmeiras 5 x 0 Independiente Del Valle (EQU) (27/04)

No primeiro jogo dentro de casa, os comandados de Abel Ferreira deram show e golearam o Independente Del Valle, campeão da Sul-Americana em 2019. Rony (duas vezes), Luiz Adriano, Patrick de Paula e Danilo Barbosa balançaram a rede no Allianz Parque.

Defensa y Justicia (ARG) 1 x 2 Palmeiras (04/05)

O Palmeiras encaminhou a vaga nas oitavas de final com a vitória com sabor de revanche sobre o Defensa y Justicia, clube que derrotou o Verdão na decisão da Recopa Sul-Americana um mês antes. Rony voltou a brilhar com dois gols na Argentina.

Independiente Del Valle (EQU) 0 x 1 Palmeiras (11/05)

Na abertura do returno, os atuais campeões foram até o Equador e enfrentaram um duelo complicado diante do Independente Del Valle. Raphael Veiga marcou de pênalti na altitude de Quito e garantiu a classificação às oitavas com duas rodadas de antecedência.

Palmeiras 3 x 4 Defensa y Justicia (ARG) (18/05)

Depois de levantarem o troféu da Recopa no estádio Mané Garrincha, em Brasília, o Defensa y Justicia voltou a vencer o Verdão no Brasil. Desta vez no Allianz Parque, os hermanos conquistaram um triunfo dramático com direito a um gol de Braian Romero aos 49 minutos do segundo tempo e continuaram vivos na briga pela classificação. Foi a única derrota do Palmeiras no torneio.

Palmeiras 6 x 0 Universitario (PER) (27/05)

Com a vaga nas oitavas e a liderança da chave asseguradas, o Palmeiras se despediu da fase de grupos com uma nova goleada. Rony novamente foi o destaque com dois gols. Viña, Zé Rafael, Gustavo Gómez e Willian também marcaram na tranquila vitória sobre o Universitario.

Oitavas de final

Universidad Católica (CHI) 0 x 1 Palmeiras (14/07)

O sorteio definiu a Universidad Católica, do Chile, como rival do Palmeiras nas oitavas de final. A vantagem magra no jogo de ida foi construída graças ao gol de pênalti de Raphael Veiga aos 42 minutos do primeiro tempo. O jogo também marcou a estreia de Dudu na competição após retorno do empréstimo ao Al Duhail, do Catar.

Palmeiras 1 x 0 Universidad Católica (CHI) (21/07)

O time de Abel Ferreira confirmou a vaga nas quartas de final com uma nova vitória por 1 a 0 no Allianz Parque. Marcos Rocha balançou a rede aos 36 minutos do primeiro tempo e definiu o confronto sem grandes sustos.

Quartas de final

São Paulo 1 x 1 Palmeiras (10/08)

Um grande tabu surgiu no caminho alviverde nas quartas de final. A equipe teve pela frente o arquirrival São Paulo, que havia eliminado o Verdão nos três mata-matas até então na Libertadores. No primeiro jogo, no Morumbi, Luan colocou o Tricolor em vantagem, mas Patrick de Paula deixou tudo igual em cobrança de falta e garantiu uma pequena vantagem para o confronto da volta.

Palmeiras 3 x 0 São Paulo (17/08)

Em uma das melhores atuações do ano, o Palmeiras eliminou de vez o “fantasma” são-paulino na competição continental. Raphael Veiga, Dudu e Patrick de Paula marcaram os gols na grande vitória que sacramentou a classificação às semifinais pela terceira vez em quatro anos.

Semifinal

Palmeiras 0 x 0 Atlético-MG (21/09)

Mais um adversário local apareceu na trajetória alviverde, desta vez o então líder do Brasileirão. Embalado por eliminar os gigantes argentinos Boca Juniors e River Plate nas fases anteriores, o Atlético Mineiro chegou cheio de moral para o duelo da semifinal e era considerado por muitos como favorito. No jogo de ida, no Allianz Parque, Abel Ferreira foi bastante criticado pela postura defensiva da equipe, que só não perdeu por causa do pênalti desperdiçado por Hulk no primeiro tempo.

Atlético-MG 1 x 1 Palmeiras (28/09)

O Palmeiras foi ao Mineirão com a vantagem do empate com gols, mas novamente apostou em uma tática cautelosa para segurar o forte ataque do Galo. O time da casa até saiu na frente com Vargas aos 7 minutos do segundo tempo, mas Abel Ferreira imediatamente pediu calma ao time e manteve sua estratégia. A estrela do técnico ainda brilhou pouco tempo depois, quando ele mandou a campo o jovem Gabriel Veron. Ele ganhou de Nathan Silva logo na sua primeira jogada na partida e cruzou para Dudu carimbar o passaporte rumo a Montevidéu.