Notícias

Hamilton define GP de São Paulo como “o mais difícil” que já teve e deixa recado: “Nunca desista”

Da Redação BandSports 14/11/2021 • 16:32 - Atualizado em 14/11/2021 • 19:01
"Não pensei que seríamos capazes de diminuir a diferença como fizemos hoje", admitiu o britânico
"Não pensei que seríamos capazes de diminuir a diferença como fizemos hoje", admitiu o britânico
Reprodução/Twitter F1

Apoiado pela torcida que lotou as arquibancadas do Autódromo de Interlagos, Lewis Hamilton superou punições, teve um fim de semana digno de heptacampeão mundial e bateu Max Verstappen para ser o primeiro piloto a cruzar a linha de chegada no histórico GP de São Paulo de Fórmula 1 deste domingo, 14.

Depois de desembarcar no Brasil com 19 pontos de desvantagem para o rival holandês na classificação do campeonato mundial e ver a distância aumentar para 21 após largar da última colocação por causa de uma desqualificação e não pontuar na sprint qualifying, o britânico da Mercedes mostrou que segue mais vivo do que nunca na luta pelo octacampeonato e chegou aos 318,5 pontos, 14 a menos que o líder Verstappen, que agora tem 332,5.

Em entrevista a Felipe Massa logo após a corrida, Hamilton celebrou a grande recuperação que teve desde sexta-feira, 12, apesar das punições que recebeu e elogiou o trabalho da escuderia alemã, incluindo o do companheiro Valtteri Bottas, que terminou a prova em terceiro.

“Que corrida! A equipe fez um ótimo trabalho. Valtteri fez uma ótimo trabalho”, comemorou, antes de apontar os últimos dias como os mais difíceis de sua carreira no automobilismo, mesmo que seu pai, Anthony, não concorde.

“De último do grid com a outra punição [da sprint] e depois a [punição] de cinco posições, acho que foi o fim de semana de corrida mais difícil que já tive. Mas meu pai me lembrou de 2004, quando eu estava no Bahrein com a F3, comecei em último, terminei em 10º e depois em primeiro”, seguiu.

O fim de semana, no entanto, não deveria ter sido tão complicado para o britânico. Depois de marcar o melhor tempo da classificação para a sprint qualifying, ele foi punido por uma irregularidade na asa traseira de seu carro e teve de largar em último na corrida de tiro curto. Em uma amostra do que estava para acontecer nesta tarde, ele ultrapassou 15 concorrentes e cruzou a linha de chegada em quinto.

Apesar de ter conquistado a quinta colocação da corrida que definiu o grid da prova deste domingo, o britânico ainda enfrentou uma punição de cinco posições por causa da troca de motor de sua Mercedes e largou em décimo. 

Mesmo com o cenário que poderia ser catastrófico, porém, o heptacampeão mundial teve tranquilidade para deixar Esteban Ocon, da Alpine, Lando Norris, da McLaren, Sebastian Vettel, da Aston Martin, Pierre Gasly, da AlphaTauri, Charles Leclerc e Carlos Sainz, ambos da Ferrari, seu companheiro de escuderia Valtteri Bottas e Sergio Pérez e Max Verstappen, ambos da Red Bull, para trás.

Ainda na conversa com Massa, Hamilton admitiu que não pensava que seria possível sair com o triunfo, mas que jamais desistiu.

“Quando começamos este fim de semana, não pensei que seríamos capazes de diminuir a diferença como fizemos hoje. Então as coisas continuaram indo contra nós, mas isso realmente mostrou para todos: nunca desista. Nunca, nunca pare de lutar e foi assim que me aproximei neste fim de semana. Parece a primeira vitória, porque sinto que não tinha uma há muito tempo”, afirmou o vencedor do GP de São Paulo.

E como não poderia ser diferente, Hamilton se sentiu em casa, carregou a bandeira brasileira durante a comemoração e levou o público à loucura. 

“Estou muito grato pelo incrível apoio que tive neste fim de semana. Não senti tanto apoio desde Silverstone”, encerrou o britânico. 

Com o fim da etapa brasileira, os pilotos agora partem para o GP do Catar. A partir de sexta-feira, 19, o Bandsports exibe ao vivo as emoções dos treinos livres e classificatório no Circuito Internacional de Losail. A Band exibe a corrida, no domingo, 21.