Notícias

Hashimoto mantém domínio do Japão no individual geral da ginástica; brasileiros Caio e Diogo têm boa participação

Da Redação Bandsports 28/07/2021 • 10:53 - Atualizado em 28/07/2021 • 11:25
Hashimoto completou a final com 88.465 pontos
Hashimoto completou a final com 88.465 pontos
Reprodução/olympics.com

O ouro olímpico do individual geral da ginástica artística masculina é do Japão pela terceira vez seguida. Daiki Hashimoto conquistou o título em casa e manteve o domínio do país, que vinha das vitórias da lenda Kohei Uchimura em Londres-2012 e Rio-2016.

Favorito entre os 24 finalistas em Tóquio, Hashimoto brilhou e garantiu a primeira posição com 88.465 pontos na soma dos quatro aparelhos. A maior nota foi nas barras paralelas, com 15.300.

A prata foi para o chinês Ruoteng Xiao, que fechou a disputa com 88.065. O russo Nikita Nagornyy completou o pódio com o somatório de 88.031.

O Brasil teve dois representantes na final. Caio Souza terminou na 17ª posição ao acumular 81.532. Seus melhores aparelhos foram as argolas e as barras paralelas, onde obteve 14.500.

Já Diogo Soares ficou em 20º lugar. Aos 19 anos, ele demonstrou segurança e controle e nem parecia estreante em Olimpíadas. O jovem ginasta completou a rotação com 81.198 pontos.

Nesta quinta-feira, 29, Rebeca Andrade será a esperança de medalha do Brasil no individual geral feminino. Ela avançou à final com a segunda melhor nota, atrás apenas da estrela Simone Biles, que desistiu da briga por medalha para cuidar da saúde mental.

  • hashimoto
  • ginástica
  • tóquio-2020
  • esportes
  • olimpíadas
  • app