Notícias

"Jurei a mim mesmo que não estaria quebrado ao final da carreira", diz Federer

Da Redação Bandsports 23/05/2022 • 08:15
Suíço destacou que a recuperação do joelho vai além do retorno ao tênis
Suíço destacou que a recuperação do joelho vai além do retorno ao tênis
Instagram/Roger Federer

Na reta final da recuperação de uma cirugia joelho, Roger Federer abriu o jogo sobre o atual momento da carreira e os planos para o futuro após a aposentadoria. Em conversa com a Caminada Magazin, o ex-número 1 do mundo mostrou paciência sobre a volta às competições e destacou que sua reabilitação vai além de um simples retorno ao tênis.

“Não consigo pensar tão à frente, no momento estou esperando o aval dos médicos e pronto para dar tudo de mim novamente. Sinto-me como um cavalo de corrida procurando seu lugar novamente, querendo correr. Espero jogar neste verão, sinto falta de voltar para casa à noite depois de um dia duro de treinamento, completamente exausto”, comentou o suíço.

“Um dia jurei a mim mesmo que não estaria completamente quebrado ao final da minha carreira, pois depois eu gostaria de esquiar com as crianças, jogar futebol com meus amigos. Por isso estou fazendo reabilitação agora, não é só para tênis. Quero ter uma vida depois da minha carreira”, revelou Federer.

A amizade com Rafael Nadal também foi assunto na entrevista. Federer expressou sua alegria pelo título do espanhol no Australian Open deste ano e destacou a inspiração pela trajetória de superação do Rei do Saibro.

“É incrivelmente inspirador quando alguém volta depois de tantos problemas de saúde. Rafa e eu falamos por telefone de vez em quando, falamos muito. Sabia que ele não estava muito bem, mas conseguiu ganhar o Australian Open, então fiquei muito feliz por ele. O esforço que fez foi imenso”, destacou.

Aos 40 anos, Federer não joga desde a eliminação nas quartas de final de Wimbledon no ano passado. Com o fim da carreira cada vez mais perto, ele já começa a pensar nas prioridades após pendurar as raquetes.

“Agora tudo é baseado na família, quero encontrar o equilíbrio certo entre meu tênis, as necessidades das crianças, Mirka, nossos amigos etc. Tenho a sensação de que a roda gira cada vez mais rápido com a idade. Agora estou no meio da vida, ainda tenho energia suficiente, além de muita experiência, estou cheio de entusiasmo pela ação”, finalizou.