Notícias

Kyrgios defende Djokovic: "Quero que ele jogue o Australian Open"

Da Redação Bandsports 09/01/2022 • 12:44
"Eu o respeito muito e o tênis precisa dele", disse o australiano
"Eu o respeito muito e o tênis precisa dele", disse o australiano
Reprodução/ATP

Mesmo já tendo criticado Novak Djokovic diversas vezes, Nick Kyrgios saiu em defesa do número 1 do mundo sobre a maneira como ele está sendo tratado desde que desembarcou em Melbourne no último dia 4 com uma autorização especial para disputar o Australian Open.

Depois de anunciar que iria disputar o primeiro Grand Slam do ano, Djoko sofreu um duro choque de realidade. Ao pisar em solo australiano, o tenista teve seu visto cancelado e foi levado para um hotel da imigração nos subúrbios de Carlton para aguardar a audiência marcada para esta segunda-feira, 10, que pode definir sua situação no país

Kyrgios disse que espera que Djokovic possa disputar o Australian Open, mas gostaria de não ter que enfrentá-lo durante sua participação no Grand Slam, pois, segundo ele, o sérvio estará com mais vontade do que nunca para conquistar seu décimo título em Melbourne.

“Se ele foi autorizado a jogar o Australian Open, então quero que ele jogue. Eles devem permitir. Não quero barrá-lo. Quanto mais o irritamos melhor ele joga. Já sabemos como funciona a sua cabeça”, afirmou o australiano, que venceu o líder do ranking da ATP nas duas vezes em que se enfrentaram.

“Se ele acabar por jogar o torneio tenho certeza de que vai estar mais motivado do que nunca e vai querer provar a todos que quer vencê-lo de novo. Dispenso enfrentá-lo. Deixo isso para os outros”, continuou.

Conhecido por seu comportamento explosivo dentro de quadra e por dar declarações fortes em suas coletivas de imprensa, Nick Kyrgios deixou claro que respeita muito Novak Djokovic, especialmente por suas ações fora da quadra.

“Na verdade, foi um dos meus primeiros amigos do circuito. Depois acho que a imprensa nos virou um pouco um contra o outro. Ele ajudou bastante a Austrália há uns anos, quando tivemos a situação complicada dos incêndios. Eu o respeito muito e o tênis precisa dele”, concluiu o tenista australiano.