Notícias

Mãe celebra prata de Rebeca após trajetória de superação: “Menina de fé, foco e garra”

Da Redação Bandsports 29/07/2021 • 10:57
Ginasta passou por três cirurgias no joelho antes de brilhar em Tóquio
Ginasta passou por três cirurgias no joelho antes de brilhar em Tóquio
Gaspar Nóbrega/COB

Rebeca Andrade superou muitos momentos de dificuldade para se tornar a primeira medalhista da história da ginástica artística feminina do Brasil em Olimpíadas. Nesta quinta-feira, 29, a paulista de Guarulhos brilhou e conquistou a prata no individual geral dos Jogos de Tóquio.

A façanha foi comemorada por quem não deixou a atleta desistir do esporte. Rosa Rodrigues, mãe de Rebeca, relembrou a batalha de tantos anos em busca do maior resultado da carreira.

“É muita emoção, estou muito feliz, não dá para explicar tanta felicidade. Depois de tanta luta, tanto sufoco, de tantas cirurgias ela se superar. É uma menina de fé, de foco e de garra, e o resultado não poderia ser diferente”, disse em entrevista ao Bandsports logo após a definição da final.

Aos 22 anos, Rebeca chegou ao Japão depois de passar por três cirurgias no joelho. A última delas foi em 2019, que provavelmente tiraria a ginasta da competição se não tivesse o adiamento em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus.

Rebeca teve excelente desempenho nos quatro aparelhos - salto, barras assimétricas, trave e solo - e fechou a série com o total de 57.298. Ela foi superado apenas pela norte-americana Sunisa Lee, que levou o ouro com 57.433. A russa Angelina Melnikova fechou o pódio ao somar 57.199.

A brasileira ainda pode seguir fazendo história em Tóquio. Ela disputará as finais do salto e do solo e é forte candidata ao pódio nos dois aparelhos.

  • rebeca andrade
  • ginástica
  • tóquio-2020
  • esportes
  • olimpíadas
  • app