Notícias

Murray detona Tsitsipas: “Leva mais tempo no banheiro do que o Jeff Bezos para ir ao espaço”

Da Redação BandSports 31/08/2021 • 10:45 - Atualizado em 31/08/2021 • 22:04
Britânico não escondeu sua irritação com as demoradas idas do rival ao vestiário
Britânico não escondeu sua irritação com as demoradas idas do rival ao vestiário
Reprodução/Twitter US Open

A batalha de cinco sets entre Andy Murray e Stefanos Tsitsipas, pela primeira rodada do US Open, não acabou de forma amigável. Eliminado do Grand Slam norte-americano do qual foi campeão em 2012, o experiente britânico não teve preocupação em esconder sua irritação e fez duras críticas a uma provável conduta antidesportiva do grego. 

Em uma situação que já está ficando costumeira em sua carreira, o número 3 do mundo, que ficou duas vezes atrás no placar, gastou mais de dez minutos com idas ao vestiário, causando uma possível quebra no ritmo da partida. Antes disso, ele já havia solicitado atendimento em quadra e trocado a raquete no meio de um game quando perdia por 0-30.

“Ele perdeu meu respeito. Eu tentei não vir para cá [entrevista coletiva] porque sabia que ia parecer que só estou falando isso por causa da derrota. Mas juro que faria o mesmo se tivesse vencido. O problema não foi ele sair da quadra, mas o fato de ter demorado tanto tempo. Antes da partida, conversei com minha equipe e esperávamos que isso acontecesse, mas quando você enfrenta a situação, tudo fica diferente”, destacou Andy.

Caso recorrente
A preocupação de Murray antes do confronto tem um motivo conhecido do público. Durante a semifinal do Masters 1000 de Cincinnati, Tsitsipas teve o mesmo comportamento, demorou na ida ao banheiro e ainda foi acusado por Alexander Zverev, número 4 do ranking, de ter trocado mensagens com seu pai e treinador durante sua ausência na quadra. 

Ex-líder do ranking mundial, Murray acredita que tal comportamento é prejudicial para a imagem do esporte. 

“Não digo que ganharia o jogo se não fossem as paradas, mas, sem dúvida, isso afetou o duelo. Ele parava sempre que eu ia começar a sacar. E não acredito que fosse problema físico. Ele correu por mais duas horas depois de pedir assistência. Ele é brilhante e ótimo para o tênis, mas tenho zero paciência para as coisas que ele faz. Esses assuntos precisam ser discutidos, e vou falar com minha equipe para ver como podemos mudar isso. É uma coisa péssima para a imagem da modalidade”, continuou.

Mesmo passada a adrenalina da partida, Murray seguiu criticando o grego, e aproveitou para fazer uma ironia em seu Twitter: “Fato do dia. Tsitsipas leva o dobro de tempo para ir ao banheiro do que Jeff Bezos para voar ao espaço”.

Diante da acusações, Tsitsipas negou que tenha quebrado alguma regra e afirmou que Murray deveria tê-lo procurado para esclarecer a situação.

“Se ele tem algum problema, acho que deve me dizer para falarmos apenas nós dois. Eu não fiz nada de errado, não quebrei nenhuma regra. Aliás, segui as mesmas. Não sei como ele se sente, normalmente não é minha prioridade entender como meus adversários estão quando me enfrentam. Talvez tenhamos que conversar. Não tenho nada contra Murray”, falou.