Notícias

“Não é fácil ser companheiro de equipe de Max. Ele não tem fraquezas óbvias”, diz Pérez

Da Redação BandSports 16/10/2021 • 07:30
"Ele realmente entrega um nível muito alto”, falou o mexicano
"Ele realmente entrega um nível muito alto”, falou o mexicano
Reprodução/Instagram Sergio Pérez

Depois de tentativas frustradas com Pierre Gasly e Alexander Albon, a Red Bull escolheu o experiente Sergio Pérez para ser o companheiro de grid de Max Verstappen na Fórmula 1. Em seu ano de estreia pela escuderia austríaca, no entanto, o mexicano teve um processo de adaptação complicado e ainda oscila entre momentos de altos e baixos.

Enquanto o holandês lidera o campeonato mundial de pilotos com 262,5 pontos, Checo aparece apenas em quinto lugar na classificação, com 135. A baixa pontuação de Pérez pode ter efeito negativo para a RBR na luta pelo título de construtores, já que ela aparece na segunda posição com 397,5 pontos, 36 a menos que a Mercedes, que tem 433,5. 

Diante do cenário desafiador, o mexicano reconheceu a dificuldade de acompanhar o nível alcançado por Verstappen na escuderia e elogiou o trabalho do companheiro. 

“Não é fácil ser companheiro de equipe de Max, ele tem uma sintonia com o carro. Ele realmente entrega um nível muito alto”, afirmou ao site RaceFans, antes de destacar a importância de ser forte mentalmente.

“Temos um carro único de certa forma e não tem sido fácil. Não há segredo quanto a isso, mas você precisa ser mentalmente muito forte depois de cada dia, e acho que isso é meu ponto forte para tirar o máximo dele [carro] e fazer o melhor a cada domingo”, falou.

Uma das dificuldades enfrentadas pelos pilotos que tentam acompanhar Verstappen na RBR é o carro feito de acordo com as características do holandês de 24 anos. Apesar desse problema de adaptação, Pérez acredita que seu companheiro mostra o potencial do carro na F1. 

“[O RBR16B] é diferente do que eu estava acostumado. Alguns carros são mais fáceis de se adaptar e alguns pilotos se adaptam mais facilmente. Tive um processo difícil de adaptação, mas nada muito dramático. É um pacote muito bom e competitivo. Max está mostrando que esse carro, se não o melhor, é um dos melhores do grid”, continuou. 

Com uma relação aparentemente tranquila entre a dupla, o mexicano apontou Verstappen como o principal nome do grid após 16 corridas disputadas no ano. De acordo com Checo, o holandês é o piloto que menos erra na categoria. 

“Para ser honesto, Max tem sido o piloto da temporada até agora. Acho que ele é o que cometeu menos erros. Ele deixou as coisas em um nível muito alto. A temporada ainda é longa, então veremos mais tarde. Até agora fiquei surpreso de forma positiva sobre o tanto que ele entrega sem erros em um nível tão alto. Ele não tem fraquezas óbvias”, encerrou.

Para voltar ao seu melhor nível, Pérez volta à ação no GP dos Estados Unidos, entre os dias 22 e 24 de outubro. O Bandsports exibe ao vivo os treinos livres e classificatório da etapa norte-americana. A Band mostra a corrida.