Notícias

“Nosso foco é ganhar o ouro”, diz a atacante Debinha

Da Redação BandSports, com Agência Brasil 19/07/2021 • 16:39 - Atualizado em 19/07/2021 • 16:51
Seleção estreia contra a China, na quarta-feira, às 5h, com transmissão do Bandsports
Seleção estreia contra a China, na quarta-feira, às 5h, com transmissão do Bandsports
Divulgação/CBF/Sam Robles

A pequena Brazópolis, no interior de Minas Gerais, está contando as horas para madrugar na quarta-feira, 21, diante da TV para assistir à estreia da Seleção Brasileira feminina de futebol contra a China, na Olimpíada de Tóquio, no Japão. O jogo será às 5h (horário de Brasília), no Miyagi Stadium, em Sendai, com transmissão do Bandsports.  Entre as titulares em campo, estará a atacante Debinha, de 29 anos, nascida e criada na cidade mineira de pouco mais de 15 mil habitantes.

“Todo mundo está empolgado lá, a cidade está em festa. Brazópolis sempre me apoiou e teve um carinho enorme por mim, e acho que isso me motiva cada vez mais de estar aqui [na Olimpíada], de representar a minha cidade, de levar o ouro para o Brasil e para Brazópolis”, disse a artilheira da seleção, desde que a treinadora sueca Pia Sundhage assumiu o comando técnico da equipe, há quase dois anos.  

A atacante, que estreou em Olimpíadas na Rio-2016 como meio-campo, enxerga mudanças estruturais no futebol da seleção, desde a edição realizada no País.

“Hoje, a gente vê a organização tática muito diferenciada do que era antes. O individual vai aparecer quando for preciso. Acho que todo mundo comprou a ideia que a Pia trouxe para a gente, é uma escola diferente e acho que ajudou muito na evolução da equipe. Acredito que a gente vá fazer uma ótima campanha”, analisou a jogadora durante coletiva, antes do penúltimo treino desta segunda-feira, 19, no Izume Soccer Field, em Sendai, cidade a 320 quilômetros de Tóquio.

Confiante no trabalho desenvolvido por Pia, campeã olímpica em 2008 e 2016, e na consolidação do futebol feminino no Brasil, Debinha não duvida do potencial da seleção para subir no degrau mais alto do pódio. O País busca o ouro inédito no futebol feminino olímpico. Até o momento, conquistou duas pratas: em Atenas-2004 e em Pequim-2008. Na edição do Rio, a seleção terminou na quarta posição.  

“Hoje nosso foco é ganhar o ouro e coroar as gerações que passaram aqui, mas também pensando na geração nova que está por chegar e, claro, sempre pensando na evolução do esporte no País”, completou.

Penúltimo treino
No treino tático desta segunda, penúltimo antes da estreia contra a China, Pia priorizou treinamento 5x5, exercício que aprimora a posse de bola, com destaque no apoio à construção de jogadas ofensivas. Na sequência, a seleção trabalhou no esquema 11x11 em campo reduzido, e, por fim, a equipe treinou jogadas paradas e finalizações.  

Primeira Fase:  

21/07 - Brasil x China, às 5h
24/07 - Brasil x Noruega, às 8h
27/07 - Brasil x Zâmbia, às 8h30

  • seleção feminina
  • app
  • olimpíadas
  • tóquio2020
  • jogos olímpicos