Notícias

"Nunca me entreguei tanto em quadra", diz Laura Pigossi após bronze em Tóquio-2020

Da Redação BandSports 02/08/2021 • 23:16 - Atualizado em 02/08/2021 • 23:33
Tenista deixou o Japão rumo à Espanha para volta aos treinos e de olho em torneios
Tenista deixou o Japão rumo à Espanha para volta aos treinos e de olho em torneios
Gaspar Nobrega/COB

A tenista brasileira Laura Pigossi deixou a capital japonesa nesta segunda-feira, 2, após conquistar com Luisa Stefani a medalha de bronze no torneio de tênis de duplas nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O destino, no entando, não foi o Brasil.

No dia em que completou 27 anos, Laura viajou para Barcelona, na Espanha. Lá, retorna aos treinos já nesta terça-feira (3) ao lado do técnico German Puentes.

Até o final do mês, ela participa de dois torneios na Espanha, em Ourense (a partir de 16 de agosto) e Vigo (a partir do dia 23). Nos dois eventos, a paulista compete nas chaves de simples e de duplas. Lá, Laura busca bons resultados, mas sem esquecer o que viveu na Olimpíada.

“Foi uma semana mágica. Não conseguiria definir com qualquer outra palavra. Vivi sensações que nunca tinha sentido em minha vida. Por mais que já tivesse defendido o Brasil, nunca vivi algo tão forte, nunca me entreguei tanto dentro de uma quadra, nunca joguei tanto com a alma do meu coração, lutando e vibrando em cada ponto”, diz a tenista, feliz com a bem-sucedida experiência olímpica.

“Realmente aproveitei cada segundo. O vínculo que criei com todos aqui do time foi algo surreal e acho que sem eles isso não poderia ter acontecido. (Quero) agradecer uma vez mais o Jaime Oncins, o Daniel Melo, o Eduardo Frick, eles realmente seguraram uma barra gigante em cada jogo, vendo contra quem jogaríamos contra. Foi uma semana espetacular. Eu e a Luísa quase ‘ouramos’. Escapou por um pouquinho.”

Na chave feminina de duplas de Tóquio-2020, Laura e Luisa estrearam passando pelas canadenses Gabriela Dabrowski e Sharon Fichman. Depois, eliminaram as tchecas Karolina Pliskova e Marketa Vondrousova e as norte-americanas Bethanie Mattek-Sands e Jessica Pegula.

As brasileiras só pararam nas semifinais, frentes às suíças Belinda Bencic e Viktorika Golubic. Na decisão do bronze, porém, levaram a melhor sobre Elena Vesnina e Veronika Kudermetova, do Comitê Olímpico Russo. Além da primeira medalha do tênis brasileiro em Olimpíadas, as duas ainda conquistaram uma experiência valiosa.

“Estou muito feliz. Por um lado, triste de estar indo embora daqui, mas por outro lado, já querendo voltar a treinar e usar tudo o que aprendi e cresci essa semana aqui tendo jogado contra meninas de alto nível, com ranking muito bom e muitas vezes ter jogado melhor que elas. Isso me faz ter muita vontade de seguir trabalhando forte para alcançar novos objetivos. Estou bastante esperançosa para esse final de ano", afirmou Laura.

  • Tóquio2020
  • olimpíadas
  • app
  • tênis
  • laura pigossi