Notícias

Paralimpíada: Brasil conquista ouro inédito no judô feminino e soma mais sete medalhas

Da Redação BandSports 29/08/2021 • 11:07 - Atualizado em 30/08/2021 • 12:27
Alana Maldonado alcançou o topo do pódio na categoria até 70kg
Alana Maldonado alcançou o topo do pódio na categoria até 70kg
Reprodução/Twitter CPB

O quinto dia de Jogos Paralímpicos foi dourado para o Brasil. Neste domingo, 29, o país brilhou em diferentes modalidades e garantiu medalhas no judô, natação, halterofilismo e remo.

Os sete pódios levaram o Brasil, momentaneamente, à sexta colocação do quadro de conquistas em Tóquio. As 30 medalhas se dividem em dez ouros, cinco pratas e quinze bronzes. Veja os últimos triunfos:

Alana Maldonado – ouro (Judô, classe B2)

Prata na Rio-2016, Maldonado fez história mais uma vez e conquistou o primeiro ouro do Brasil no judô feminino. Na categoria até 70kg da classe B2, para atletas com percepção de vultos, a paulista de 26 anos venceu a georgiana Ina Kaldani na grande decisão.

A campanha vitoriosa ainda contou com triunfos contra a italiana Matilde Lauriana e a turca Raziye Ulucam.

Mariana D’Andrea – ouro (Halterofilismo)

Os feitos históricos da última madrugada não se restringiram apenas ao judô. Na disputa para atletas, com peso até 73kg com deficiência nos membros inferiores e/ou paralisia cerebral, D’ Andrea levantou 137kg, em sua terceira tentativa, e garantiu a primeira medalha dourada do Brasil no halterofilismo.

Carol Santiago – ouro (Natação – 50m livre, classe S13)

Após 17 anos, a natação feminina do Brasil voltou ao topo pódio entre as mulheres. Com direito a novo recorde paralímpico, Santiago percorreu os 50 metros em 26s82 e foi a vencedora da categoria para atletas com deficiência visual.

A pernambucana de 36 anos foi, respectivamente, seguida pela russa Anna Krivshina, que cravou 27s06, e a italiana Carlotta Gilli, com 27s07.

Gabriel Araújo – ouro (Natação – 200m livre, classe S2)

Prata nos 100m costas, Araújo adicionou mais um ouro para a coleção da natação brasileira. O mineiro de 19 anos completou os 200m em 4min06s52 na classe S2, destinada a atletas com deficiência física, e não deu chance para os rivais. 

Dono da prata, o chileno Alberto Abarza cravou 4min14s17. O russo Vladimir Danilenko levou o bronze, com 4min15s95. A prova ainda contou com outro brasileiro: Bruno Becker fez 4min22s63 e bateu na trave na luta pelo pódio, terminando em quarto.

Beatriz Carneiro – bronze (Natação – 100m peito, classe SB14)

Com a participação de Débora, sua irmã gêmea, a paranaense Beatriz Carneiro ficou com o terceiro lugar nos 100m peito da classe para atletas com deficiência intelectual. Ela fez o tempo de 1min17s61 e ficou dois centésimos à frente da irmã, que terminou na quarta posição.

O ouro foi para casa da espanhola Michelle Morales, que estabeleceu o novo recorde mundial, com 1min12s02. A prata ficou com a britânica Louise Fiddes, registrando 1min15s93.

Meg Emmerich – bronze (Judô, classe B3)

Em mais um pódio brasileiro no Nippon Budokan, Emmerich venceu Altantsetseg Nyamaa, da Mongólia, na disputa pelo bronze da categoria até 70kg da classe para deficientes visuais que conseguem definir imagens.

A campanha da brasileiro contou com estreia vitoriosa contra a japonesa Minako Tsuchiya, mas foi superada por Dursadaf Karimova, do Azerbaijão, na semifinal.

Renê Pereira – bronze (Remo)

Na categoria skiff simples PR1M1x, Renê Pereira foi mais um brasileiro que triunfou nas águas de Tóquio. Com uma arrancada na reta final dos 2000m, ele completou o percurso em 10min03s54, para levar o bronze. 

Ele ficou atrás do ucraniano Roman Polianskyi, que venceu a prova com 9min48s78, e do australiano Eric Horrie, que marcou 10min00s82, e terminou na segunda colocação.

  • alana maldonado
  • app
  • esportes
  • judô
  • jogos paralímpicos
  • paralimpíada