Notícias

Pavlyuchenkova chega à final de Roland Garros com viradas e "pneu" sobre favorita

Da Redação Bandsports 11/06/2021 • 10:02 - Atualizado em 11/06/2021 • 10:30
Pavlyuchenkova vai disputar a final de um Grand Slam pela 1ª vez
Pavlyuchenkova vai disputar a final de um Grand Slam pela 1ª vez
Corinne Dubreuil/FFT

A Rússia está perto de voltar ao topo de Roland Garros. Sete anos após o último título de Maria Sharapova no saibro parisiense, Anastasia Pavlyuchenkova pode conquistar neste sábado, 12, o primeiro Grand Slam de sua carreira na final diante da tcheca Barbora Krejcikova. Com uma trajetória repleta de altos e baixos, a tenista de 29 anos chegou sem grandes expectativas e precisou lidar com momentos distintos dentro da competição para avançar à decisão. Veja como foi a campanha:

Primeira rodada (30/05): Anastasia Pavlyuchenkova x Christina McHale
Placar: 2 x 0 (6/4, 6/0)

Para dar o pontapé inicial no 52º Grand Slam de sua carreira, a russa apareceu sem muitos holofotes na quadra 12 do complexo parisiense. Contra a número 95 do ranking da WTA, a campeã não teve piedade. Em 1h19, o atropelo aconteceu em sets diretos. Com vantagem de 6/4 na primeira parcial, a confirmação da classificação contou com ‘pneu’.

Segunda rodada (02/06): Anastasia Pavlyuchenkova x Ajla Tomljanovic
Placar: 2 x 0 (6/2 e 6/3)

Na rodada seguinte, a número 32 do mundo não passou de 1h28 para eliminar a rival australiana. Após vencer a primeira parcial com tranquilidade, Pavlyuchenkova viu a 76ª colocada do ranking abrir 2 games a 0 na seguinte, no entanto, ela usou toda sua experiência e administrou a recuperação para levar mais uma vitória em sets diretos, desta vez com parciais de 6/2 e 6/3.

Terceira rodada (04/06): Anastasia Pavlyuchenkova x Aryna Sabalenka
Placar: 2 x 1 (6/4, 2/6 e 6/0)

Diante da cabeça de chave 4, veio a primeira prova de fogo da tenista de 29 anos. Poucas semanas antes de Roland Garros, as adversárias se encontraram no WTA de Madrid. Na oportunidade, vitória tranquila em sets diretos para Sabalenka. Para evitar que a história se repetisse, a russa entrou focada e não deu chance para o azar. Na quadra Simonne-Mathieu, ela largou na frente em 6/4. Entretanto, na segunda parcial, um problema físico impediu a realização de seu melhor tênis, e a bielorrussa levou o set em 6/2 para igualar a partida. Depois de receber atendimento médico, o show aconteceu. Para finalizar o encontro em 1h40, Pavlyuchenkova adicionou mais um ‘pneu’ na campanha.

Oitavas de final (06/06): Anastasia Pavlyuchenkova x Victoria Azarenka
Placar: 2 x 1 (5/7, 6/3 e 6/2)

Em sua primeira aparição na lendária Philippe-Chatrier, Pavs se viu atrás do placar pela primeira vez nesta edição do torneio. Grande favorita na ocasião, Azarenka levou o primeiro set por 7/5 e complicou a situação da rival. Sem sentir o cansaço, a finalista demonstrou solidez para aplicar 45 winners, suportar a agressividade da número 16 do mundo e conquistar os dois últimos sets, com parciais de 6/3 e 6/2.

Quartas de final (08/06): Anastasia Pavlyuchenkova x Elena Rybakina
Placar: 2 x 1 (6/7 (2), 6/2 e 9/7)

Nas quartas de final, um fato curioso marcou a partida disputada na Philippe-Chatrier: a russa estava diante de sua parceira de duplas, Elena Rybakina. Com duas atletas que se conhecem tão bem, estava claro que ninguém teria vida fácil. Com muita emoção, a cazaque venceu o primeiro set no tie-break e deixou Pavs, mais uma vez, em apuros. Para adicionar mais uma virada no currículo, a russa usou toda a experiência adquirida ao longo dos anos para virar o duelo com parciais de 6/2 e 9/7.

Com a coroação da melhor campanha de sua carreira em Grand Slams, a eterna menina prodígio usou algumas palavras para explicar os altos e baixos de sua trajetória no esporte: “Estou muito feliz. O tênis sempre esteve lá, mas agora estou mais sólida mentalmente. Tento trabalhar mais e melhor e jogar da forma mais inteligente, algo que nem sempre foi assim”, desabafou após a partida.

Semifinal (10/06): Anastasia Pavlyuchenkova  x Tamara Zidanšek
Placar: 2 x 0 (7/5 e 6/3)

Após duas batalhas no saibro parisiense, a russa precisou de apenas 1h34 para garantir a vaga na decisão. Frente à número 85 do ranking, ela superou o nervosismo e aplicou sets diretos com parciais de 7/5 e 6/3 para liquidar o confronto.

  • pavlyuchenkova
  • roland garros
  • tênis
  • esportes
  • app