Notícias

Phelps lamenta postura de Djokovic: “Alguns precisam levar o covid mais a sério”

Da Redação BandSports 14/01/2022 • 10:26 - Atualizado em 15/01/2022 • 12:41
Norte-americano relembrou de quando contraiu o vírus e destacou atletas como exemplos
Norte-americano relembrou de quando contraiu o vírus e destacou atletas como exemplos
Instagram/Michael Phelps

A tentativa de Novak Djokovic de participar do Australian Open sem estar vacinado contra a covid-19 está gerando críticas até fora do mundo do tênis. Maior medalhista da história dos Jogos Olímpicos, Michael Phelps relembrou de quando foi infectado pelo vírus e destacou que os atletas devem ser exemplos para as outras pessoas. 

“Todos nós atletas somos exemplos para as outras pessoas. Quando se trata da covid e tudo aquilo pelo o que estamos passando, serei o primeiro a admitir que tive a infecção e foi terrível. Literalmente pensei que ia morrer durante 36 horas. Foi a experiência mais miserável que realmente já tive na minha vida”, disse Phelps em entrevista à CNN ao ser questionado sobre o tenista sérvio. 

Dono de 28 medalhas olímpicas, sendo 23 de ouro, Phelps seguiu mencionando os riscos de ser contaminado pela covid-19 e lamentou que alguns não estejam levando o vírus a sério.

“É algo que matou muitas pessoas, e todos nós precisamos estar na mesma página uma vez que queremos ultrapassar tudo isso juntos. Todos podemos trabalhar juntos e seguir certas diretrizes para nos mantermos saudáveis e lutar contra o vírus. Alguns de nós provavelmente precisam levar isso um pouco mais a sério, há muitas pessoas que estão sofrendo e muitas famílias que perderam entes queridos”, encerrou o multicampeão. 

Entenda o caso de Novak Djokovic
Sem esclarecer seu status de vacinação contra a covid-19, Djokovic embarcou para a disputa do Australian Open com uma isenção médica para disputar o torneio, que exige a imunização de seus participantes. 

Apesar da permissão especial, o sérvio foi barrado no desembarque no país por não apresentar evidências suficientes para obter a isenção médica, teve seu visto cancelado e precisou passar por uma audiência na segunda-feira, 10. Enquanto aguardava o desenrolar do caso, o tenista foi levado e ficou isolado no Park Hotel, em Carlton. 

Nesta sexta-feira, 14, o ministro da Imigração da Austrália, Alex Hawke, cancelou o visto do tenista pela segunda vez, alegando motivos de “saúde e ordem”. A decisão, entretanto, ainda pode ser revertida após recurso dos advogados do sérvio.