Notícias

Saiba quantas medalhas o Brasil conquistou na Olimpíada de Tóquio

Da Redação 25/07/2021 • 08:11 - Atualizado em 13/08/2021 • 13:45
Isaquias exibe medalha de ouro conquistada na canoagem
Isaquias exibe medalha de ouro conquistada na canoagem
Miriam Jeske/COB

O Brasil encerrou sua participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio com 21 medalhas no total, batendo o recorde anterior de pódios do país, 19, da Rio-2016.

No Japão, os brasileiros conquistaram sete medalhas de ouro, seis de prata e oito de bronze. 

A primeira foi de prata, e saiu no skate street com Kelvin Hoefler, no domingo, 25 de julho, segundo dia oficial de competições. A última foi a prata da seleção feminina de vôlei.

Veja abaixo e clique nos links para saber mais sobre as conquistas.

Dia 25 de julho, domingo:

Skate: Kelvin Hoefler, medalha de prata no street

Kelvin Hoefler foi o primeiro medalhista do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O paulista de 28 anos entrou para a história ao conquistar a prata no skate street masculino, modalidade que faz sua estreia no programa olímpico.

Judô: Daniel Cargnin, bronze na categoria até 66kg

Para conseguir um lugar no pódio no sagrado Budokan, o gaúcho Daniel Cargnin venceu um luta disputadíssima contra o israelense Baruch Shmailov. Cargnin conseguiu sustentar a vantagem no placar com um waza-ari e alcançou o resultado mais expressivo da carreira aos 23 anos.

Dia 26 de julho, segunda-feira:

Skate: Rayssa Leal, medalha de prata no street

A participação histórica de Rayssa Leal nos Jogos de Tóquio foi coroada com um lugar no pódio. Aos 13 anos, a mais jovem atleta olímpica do esporte brasileiro ignorou o peso da competição, brilhou no Ariake Park Skateboarding e conquistou a medalha de prata na estreia do skate street. A Fadinha só foi superada pela japonesa Momiji Nishiya, também de 13 anos.

Dia 27 de julho, terça-feira:

Natação: Fernando Scheffer, medalha de bronze nos 200m livre masculino

Fernando Scheffer é medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. O brasileiro, que estava na raia 8, fez o melhor tempo de sua vida e levou 1min44s66 para ser o terceiro nadador a bater nos 200m livre masculino.

Surfe: Italo Ferreira, ouro no masculino

A primeira medalha de ouro da história do surfe nos Jogos Olímpicos é do Brasil. Italo Ferreira cravou seu nome na eternidade ao derrotar o japonês Kanoa Igarashi e conquistar o título dos Jogos de Tóquio na estreia da modalidade no programa olímpico.

Dia 29 de julho, quinta-feira:

Judô: Mayra Aguiar, bronze na categoria até 78kg

Mayra Aguiar faturou a medalha de bronze em Tóquio e repetiu os resultados alcançados em Londres-2012 e na Rio-2016. A atleta de 29 anos se tornou a primeira brasileira a ganhar três medalhas em esportes individuais em Olimpíadas. Na luta pelo bronze, a brasileira bateu a sul-coreana Hyunji Yoon com uma imobilização.

Ginástica: Rebeca Andrade, prata no individual geral feminino

Rebeca Andrade deu a volta por cima em grande estilo após sofrer com lesões e conquistou a medalha de prata, tornando-se a primeira ginasta brasileira a subir no pódio em Jogos Olímpicos. A paulista de 22 anos brilhou nos quatro aparelhos, com direito a “Baile de Favela” no solo, e só ficou atrás da norte-americana Sunisa Lee. 

Dia 31 de julho, sábado:

Tênis: Luisa Stefani e Laura Pigossi, bronze nas duplas

Luisa Stefani e Laura Pigossi foram protagonistas de um dos roteiros mais surpreendentes dos Jogos Olímpicos de Tóquio. As brasileiras entraram na chave de duplas femininas em cima da hora após a desistência de vários países e marcaram um lugar na história com a conquista do bronze, primeira medalha do Brasil na modalidade em Olimpíadas.

Dia 1 de agosto, domingo:

Natação: Bruno Fratus, bronze nos 50m livre

Bruno Fratus conquistou o bronze nos 50m livre com o tempo de 21s57 no Centro Aquático de Tóquio. Aos 32 anos, Fratus precisou trabalhar duro e superar momentos de frustração para alcançar a medalha, após bater na trave em Londres-2012, com o quarto lugar, e ficar em sexto no Rio, em 2016.

Ginástica Artística: Rebeca Andrade, ouro no salto

Três dias depois de fazer história com a medalha de prata no individual geral, Rebeca Andrade voltou a brilhar ainda mais no Ariake Gymnastics Centre e conquistou o ouro no salto nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A paulista de Guarulhos cravou de vez o nome na eternidade do esporte nacional como a primeira mulher brasileira campeã olímpica na ginástica.

Dia 3 de agosto, terça-feira:

Atletismo: Alison dos Santos, bronze nos 400m com barreiras

Com desempenho espetacular, Alison dos Santos ficou com o terceiro melhor tempo da final dos 400m com barreiras no Estádio Olímpico de Tóquio. Na raia 7, o paulista de São Joaquim da Barra cravou 46s72, novo recorde sul-americano, para subir ao pódio. O Brasil não garantia uma medalha em provas individuais de pista desde os Jogos de Seul-1988. 

Vela: Martine Grael e Kahena Kunze, ouro na classe 49er FX

Cinco anos depois do inédito ouro na Rio-2016, Martine Grael e Kahena Kunze voltaram a brilhar e conquistaram o bicampeonato na classe 49er FX na ilha de Enoshima. As brasileiras fizeram uma campanha sólida e chegaram à Medal Race dividindo a liderança com as holandesas Bekkering e Duetz. Na regata decisiva, controlaram bem a disputa e nem precisaram cruzar a linha de chegada na frente

Boxe: Abner Teixeira, bronze no peso pesado

O boxeador Abner Teixeira conquistou a medalha de bronze na categoria peso pesado (até 91kg) dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ele foi derrotado pelo cubano Julio La Cruz na semifinal e ficou fora da briga pelo ouro. Quatro juízes deram vitória para La Cruz e apenas um considerou Abner vencedor.

Atletismo: Thiago Braz, bronze no salto com vara

Thiago Braz voltou pela segunda vez consecutiva ao pódio dos Jogos Olímpicos. Campeão do salto com vara na Rio-2016, o brasileiro conquistou a medalha de bronze em Tóquio. Depois de um ciclo olímpico irregular, o paulista de Marília evoluiu na atual temporada e fez sua melhor marca do ano justamente na decisão ao saltar 5.87m.

Maratona Aquática: Ana Marcela Cunha, ouro nos 10km

Ana Marcela Cunha fez prova consistente, manteve o ritmo durante todos os 10km e venceu a maratona aquática feminina na Marina de Odaiba, em Tóquio. Pentacampeã mundial, a baiana assumiu a liderança definitiva na boia dos 8.81km e completou o trajeto em 1h59min30s8 para assegurar a medalha inédita na carreira. 

Dia 5 de agosto, quinta-feira:

Skate: Pedro Barros, prata no skate park masculino 

Pedro Barros deu show no Ariake Sports Park e ficou com o segundo lugar da decisão que encerrou a edição de estreia da modalidade em Jogos Olímpicos. Com o mapa de Florianópolis no shape, o catarinense emplacou nota 86.14 logo de cara na final. Nas outras tentativas, o hexacampeão do X-Games foi em busca do ouro e arriscou em todas, mas sofreu quedas e não aumentou a pontuação.

Dia 7 de agosto, sábado:

Canoagem: Isaquias Queiroz, ouro no C1 1000m

Isaquias Queiroz fez história na canoagem. O canoísta brasileiro brilhou no Sea Forest Waterway, na Baía de Tóquio, e conquistou o ouro. Em prova que começou acirrada, o baiano largou firme e cruzou a parcial de 250 metros na terceira colocação, mas rapidamente subiu o ritmo e ultrapassou os 500m em segundo. Logo após metade da distância, Isaquias deixou os rivais para trás e dominou a reta final. Com folga, ele completou o percurso em 4min04s408.

Boxe: Hebert Conceição, ouro na categoria até 75kg

Hebert Conceição travou uma verdadeira guerra contra o campeão mundial Oleksandr Khyzhniak e conquistou a medalha de ouro da categoria peso médio (até 75kg) após uma reação incrível. Apesar da notória superioridade do rival, o soteropolitano reagiu e, em uma sequência avassaladora de golpes, a mão esquerda entrou para derrubar Khyzhniak e garantir a vitória por nocaute.

Futebol: ouro da seleção masculina

Cinco anos depois da tão aguardada conquista inédita no Rio de Janeiro, a seleção faturou o bicampeonato nos Jogos de Tóquio com a vitória por 2 a 1 sobre a Espanha na prorrogação. No estádio de Yokohama, palco do penta em 2002, Malcom saiu do banco e colocou o Brasil no lugar mais alto do pódio pela segunda vez consecutiva marcando o gol do título.

Dia 8 de agosto, domingo:

Boxe: Bia Ferreira, prata na categoria até 60kg

Beatriz Ferreira confirmou a medalha de prata nos Jogos de Tóquio. A soteropolitana de 28 anos teve grande atuação na Arena Kokugikan, mas foi superada pela número 1 do mundo Kellie Harrington, que ficou com o ouro da categoria peso leve (até 60kg) do boxe na Olimpíada.

Vôlei: prata da seleção feminina

A participação histórica do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio terminou com a medalha de prata no vôlei feminino. A seleção foi dominada pelos Estados Unidos e perdeu por 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 25/20 e 25/14.

  • olimpíadas
  • tóquio2020
  • app