Notícias

“Só vou continuar no ciclo olímpico se for competitivo”, afirma Alison após eliminação em Tóquio

Da Redação BandSports 04/08/2021 • 01:39 - Atualizado em 04/08/2021 • 08:25
Mamute tem duas medalhas olímpicas no currículo
Mamute tem duas medalhas olímpicas no currículo
Divulgação/Gaspar Nóbrega/COB

Prata em Londres-2012 e ouro na Rio-2016, Alison Cerutti se despediu dos Jogos de Tóquio sem subir ao pódio. Ao lado de Álvaro Filho, Mamute caiu nas quartas de final do vôlei de praia para os letões Edgars Tocs e Martins Plavins, e não garantiu que terá o quarto ciclo olímpico de sua carreira.

“Volto para casa agora, para minha família. O primeiro a saber sobre meu futuro vai ser o Álvaro, em segundo vai ser minha equipe. Eu só vou continuar no ciclo olímpico se for competitivo, como fui nesses Jogos. Se não, não vou queimar a minha história só para vir para mais uma edição, para dizer que vim na minha quarta Olimpíada. Minha chama está acesa, mas agora não posso responder. Estou muito feliz pelo que nós fizemos, nossa história, pelo que esse cara fez por mim e vamos rir muito de tudo ainda”, contou o atleta de 35 anos.

Com moral na competição, os representantes da Letônia já haviam sido algozes de Bruno Schmidt e Evandro Gonçalves nas oitavas de final. Apesar do revés, Alison destacou a experiência que foi adquirida por Álvaro como algo positivo.

“É difícil falar. O saque deles foi perfeito hoje, não erraram. Quem erra mais, acaba perdendo. É uma pena, mas isso não apaga nossa história, nossa trajetória, e como evoluímos. Fica um legado para o Álvaro de tudo que aprendi, de tudo que nós passamos. Ele tem 30 anos, mais um ou dois ciclos pela frente e espero que o Brasil volte ao topo mais para a frente”, concluiu.

A derrota da dupla marcou a primeira vez desde Atlanta-1996, quando o vôlei de praia entrou no programa olímpico, que o Brasil não ocupou o pódio da modalidade.

  • alison cerutti
  • álvaro
  • vôlei de praia
  • app
  • esportes
  • tóquio