Notícias

Tóquio tem Portela “roubada”, desistência de Biles e gols de Richarlison; veja resumo

Da Redação BandSports 28/07/2021 • 12:53 - Atualizado em 13/08/2021 • 13:44
Judoca Maria Portela vai às lágrimas após derrota polêmica na Olimpíada
Judoca Maria Portela vai às lágrimas após derrota polêmica na Olimpíada
Gaspar Nobrega/COB

O Brasil passou em branco e não conseguiu medalhas no oitavo dia de competições dos Jogos Olímpicos Tóquio-2020, nesta terça, 27, e quarta-feira, 28, pelo horário de Brasília. Maria Portela era uma das cotadas ao pódio, mas foi derrotada no judô feminino em decisão que gerou revolta da arbitragem.

O país também sofreu derrotas doloridas no vôlei masculino, no handball masculino e no tênis de mesa, mas comemorou bons resultados no futebol masculino e no tênis feminino. Confira os destaques de um dia olímpico que teve ainda a desistência da ginasta norte-americana Simone Biles das finais da ginástica. 

Polêmica no judô

Na segunda fase da categoria até 70kg, Maria Portela perdeu para a russa Madina Taimazova após 14min48s de luta, a mais longa da competição até o momento. A gaúcha recebeu o terceiro shido por falta de combatividade e chorou muito ao deixar o tatame da arena Budokan. Durante golden score, ela chegou a encaixar um bom golpe que parecia garantir a vitória, mas a arbitragem não confirmou o wazari ao ver o vídeo do lance, em uma decisão polêmica contra a brasileira.

Quem estava acordado de madrugada torcendo pela brasileira detonou a arbitragem e fez do “roubo à Portela” o assunto mais comentado nas redes sociais (em pleno inverno de um ano que mais uma vez nem teve Carnaval). Judocas históricos do país como Flavio Canto, João Derly, Tiago Camilo e Luciano Correa se juntaram ao coro de reclamações e concordaram: a lutadora foi sim prejudicada

Biles: foco na saúde mental

A Federação de Ginástica dos Estados Unidos anunciou que Simone Biles não vai disputar a final do individual geral dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que acontece nesta quinta-feira. Grande estrela da modalidade, a ginasta tem sofrido com problemas psicológicos e optou por priorizar a saúde mental. “Aplaudimos sua coragem”, disse a equipe norte-americana em comunicado. Resta saber se Biles volta para a disputa das finais por aparelhos a partir de domingo. 

Futebol masculino encara Egito nas quartas

Com dois gols de Richarlison, artilheiro dos Jogos Olímpicos, com cinco gols, o Brasil derrotou a Arábia Saudita por 3 a 1 e avançou como primeiro colocado do Grupo D do futebol masculino de Tóquio-2020. No próximo sábado, a equipe do técnico André Jardine encara o Egito na disputa por uma vaga na semifinal. 

O mata-mata tem ainda Coreia do Sul x México, Japão x Nova Zelândia e Espanha x Costa do Marfim.  Argentina e Alemanha ficaram elo caminho.

Vôlei masculino perde invencibilidade

Atual campeão olímpico, o Brasil não foi páreo para a Rússia e perdeu por 3 sets a 0, com parciais de 25/22, 25/20 e 25/20. O resultado deixa os europeus na liderança do Grupo B e o time do técnico Renan Dal Zotto em terceiro, ainda na zona de classificação. Mas o próximo compromisso também é uma pedreira: Estados Unidos, atuais vice-líderes.

Teve decepção também nas areias em Tóquio. Ana Patrícia e Rebecca Cavalcante viram as letãs Tina Graudina e Anastasija Kravcenoka em dia inspirado na Arena Shiokaza Park e levaram a pior por 2 sets a 1, perdendo a invencibilidade na competição. 

Natação: Leonardo de Deus é sexto

Esperança de medalha nos 200m borboleta, o brasileiro terminou a final apenas na sexta colocação. O ouro ficou com o húngaro Kristof Milak, que inclusive quebrou o recorde do multicampeão Michael Phelps na prova. 

O Brasil também disputou a final do revezamento 4x200m livre, mas o quarteto formado por Fernando Scheffer, Murilo Sartori, Breno Correia e Luiz Altamir ficou apenas em oitavo. Outro destaque do dia da natação em Tóquio foi o primeiro ouro da estrela norte-americana Katie Ledecky, que venceu nos 1.500m livre. 

Stefani e Pigossi fazem história no tênis

O tênis feminino do Brasil está pela primeira vez em uma semifinal de Jogos Olímpicos. Luisa Stefani e Laura Pigossi fizeram história ao eliminarem as norte-americanas Bethanie Mattek-Sands e Jessica Pegula, cabeças de chave quatro em Tóquio, por 2 sets a 1 (1/6, 6/3 e 10/6). 

No tênis de mesa, Hugo Calderano já havia se tornado o primeiro brasileiro a chegar às quartas de final de uma Olimpíada e por muito pouco não fez mais. O carioca de 25 anos abriu 2 a 0 contra o alemão Dimitrij Ovtcharov, mas permitiu a virada do medalhista olímpico, que fechou a partida em 4 a 2 (7/11, 5/11, 11/8, 11/7, 11/8 e 11/2). 

Brasil na ginástica, handball e tiro com arco

O Brasil teve dois representantes na final do individual geral masculino da ginástica. Caio Souza terminou na 17ª posição, enquanto Diogo Soares ficou em 20º lugar. O ouro foi para o japonês Daiki Hashimoto. 

Já a seleção masculina de handebol perdeu para a Espanha por 32 a 25 e segue sem saber o que é vitória nos Jogos Olímpicos de Tóquio. As chances de classificação só continuam se o time bater a Argentina nesta quinta-feira.

No tiro com arco masculino, o arqueiro Marcus D’Almeida alcançou um feito histórico e colocou o Brasil pela primeira vez nas oitavas de final da categoria em Olimpíadas.

Tóquio no Bandsports

O Bandsports faz cobertura completa dos Jogos de Tóquio-2020, 24 horas por dia. Fique de olho e não perca as emoções da Olimpíada!

  • tóquio 2020
  • app
  • bandsports
  • olimpíadas
  • maria portela
  • simone biles